Luanda - O especialista em segurança interna Divaldo Martins inscreve-se no mercado literário angolano com o lançamento, em Outubro, do romance “Pedaços da Vida”. Segue-se, em Dezembro, “A Teia”, do mesmo género literário.


Fonte: Novo Jornal


Sem adiantar muitos pormenores, e sem data exacta para o seu lançamento, o autor resumiu ao NJ o enredo do primeiro título: “Em termos de categoria podemos considerar uma tentativa de reinvenção da realidade, porque embora seja ficção, grande parte das coisas que narro aconteceram, embora não como eu as retrato”, explicou.

Com 204 páginas e 16 capítulos, o livro surge na sequência de um facto que presenciou e o marcou na sua adolescência, explica o exporta-voz do Comando Provincial da Polícia de Luanda, e que acabou “em morte”.


“Os outros momentos narram o pavor de um grupo de jovens que em ir para a guerra quando completassem 18 anos, com receio de morrer ou voltar mutilados”. Como explica Divaldo Martins, “há uma série de interrogações sobre o destino, Deus e o próprio relacionamento entre as pessoas de várias classes sociais”.


O livro começou a ser escrito aos 16 anos, mas teve vários interregnos, tendo terminado há sensivelmente três meses.


Já o romance a “ A Teia” aborda a problemática do HIV em Angola e está a receber os últimos acabamentos gráficos em Portugal. Prevê-se o seu lançamento para o mês de Dezembro.

Terá aproximadamente 244 páginas.Divaldo Martins contou ao NJ que desde a infância teve o gosto pela leitura. Mas na sua vida as coisas foram acontecendo sem previsões.

“Desejava formar-me em Economia, acabei por fazer o curso médio de jornalismo; depois, quis fazer o superior de Direito, mas acabei por estudar Língua Portuguesa até ao 2º ano; depois fui fazer Direito e acabei por estudar Ciências Policiais e ser polícia, coisa que nunca pensei ser”.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: