Luanda - O FBI está a investigar empresas internacionais como a General Electric, Johnson & Johnson, Philips e Siemens, por suspeitas que possam estar envolvidas num esquema de corrupção para a venda de equipamentos na América do Sul, especialmente no Brasil e em África, designadamente no Iraque, Moçambique e em Angola.

Fonte: Club-k.net/Imprensa

De acordo com as notícias veiculadas em diversos meios de comunicação nacionais e internacionais, incluindo o Jornal de Angola, há suspeitas que foram feitos acordos e pagamentos por parte destas empresas a representantes de várias entidades públicas a fim de serem adjudicados contratos relativos a projectos, entre outros, dos sectores da Energia e da Saúde. Esta práctica que aparentemente já dura há vários anos em África, alegadamente há cerca de 8 anos em Angola, sendo mais antiga no Brasil, onde se apurou que existe há mais de 20 anos.


Há empresas do Universo GE que estão legalmente proibidas de entrarem em concursos financiados pelo Banco Africano de Desenvolvimento por um prazo até 5 anos, devido a situações de corrupção e fraude comprovadamente ocorridas entre 2006 e 2014.


Estas multinacionais são consideradas como das maiores empresas estrangeiras que estão a ser investigadas na América do Sul e em África, naquele que é considerado como um processo sem precedentes.


Da parte das multinacionais visadas, a General Electric não quis comentar apesar de as nossas fontes confirmarem a reestruturação da empresa em África , a Siemens referiu “não estar a par de qualquer investigação do FBI à empresa”. Quanto à Philips confirmou estar a ser investigada no Brasil, dizendo ser uma prática habitual das autoridades Norte Americanas, “mostrarem interesse nestas matérias.”


Em Abril deste ano a General Electric foi multada pela Comissão Europeia no valor de 52 milhões de Euros por ter fornecido informações falsas àquela entidade durante uma investigação referente à compra da empresa dinamarquesa LM Wind.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: