Lisboa – O Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas (FAA), António Egídio de Sousa Santos "Disciplina", ordenou, esta semana, às tropas, na capital do país, para que no período compreendido entre as 18h00 do dia 14.06.2019, às 08h00, todas as unidades das Forças Armadas, passem ao grau de “prontidão combativa elevada”.

Fonte: Club-k.net

Forças Armadas usadas para proteger  partido político 


A medida segundo o despacho no 56/CEMGF/FAA/06/2029, assinado por comandante e antigo membro do Comitê Central do partido no poder é “em consideração a realização no dia 15 do VII Congresso Extraordinário do partido MPLA”, pelo que no seu entender deve haver “necessidade da tomada de medidas preventivas, por formas a evitar incidentes que perturbem a ordem e tranquilidade publicas, durante o referido evento.


O comandante, no documento de caracter reservado, que o Club-K teve acesso, pede a Região Militar de Luanda que coopere com as forças da Polícia Nacional, intensificando os patrulhamentos auto e apeado nos centros urbanos e suburbanos com vista a recolha do pessoal e viaturas militares que transgridam as normas a disposição contidas no referido despacho.


Tendo em conta que a mobilização de tropas na rua acarreta custos como logística (alimentação dos saldados), munições, combustível, o Club-K, não foi a tempo de apurar quando deverá gastar ás FAA para esta ação combatida a favor  do MPLA.


A constituição angolana, determina que as Forças Armadas são apartidárias, sendo que nela não existe artigo que orienta o exercito sair  à rua para cuidar de  eventos de partidos políticos.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: