Luanda - As Caritas diocesanas de Angola estão a reforçar a campanha de recolha de bens para acudir as vítimas da seca e fome no país , numa altura em que na Diocese do Luena, província do Moxico chegam relatos da morte de três pessoas, vítimas da fome.

Fonte: R Vaticano

Está cada vez mais difícil a vida de milhares de famílias de diferentes províncias de Angola afectadas pela seca e fome. A problemática não esta a atingir apenas a região mais ao sul do país (Cunene, Cuando cubango, Namibe, Huila).


No leste de Angola mais concretamente na província do Moxico, o fenómeno da seca e fome já começou a fazer vítimas mortais, fundamentalmente pessoas que vivem em zonas recônditas onde o acesso é complicado devido ao mau estado das estradas.


A Soba, alta autoridade tradicional da localidade dos Bundas lançou o grito de socorro aquém de direito para a resolução do problema e explicou que devido a Fome, a população para sobreviver esta a consumir frutos silvestres e os mais jovens estão abandonar as aldeias em busca de sobrevivência na vizinha República da Zâmbia.


De visita pastoral a localidade dos Bundas (Moxico), o bispo da diocese do Luena Dom Jesus Tirso Blanco disse ser urgente o apoio a estas populações, o prelado acrescentou que não faz sentido gastar – se milhões de recursos financeiros em projectos imobiliários quando há milhares de famílias em penúria.


O pastor da diocese do Luena vivenciou a dura situação social dos populares dos Bundas e aproveitou a ocasião para administrar o sacramento do baptismo a vários fiéis.


Com a falta de água limpa e sem alternativa, Dom Tirso teve de baptizar os seus fiéis com água “turva”.


Para minimizar a dura situação destas famílias a caritas da diocese do Luena já lançou uma campanha de solidariedade, diversos bens serão enviados para às vítimas assoladas pela fome e seca no município dos Bundas como fez saber o padre Emílio Dala.

Do Moxico a Benguela

Do Moxico, seguimos para a Província de Benguela, onde dezenas de famílias da povoação de Kapilongo, que dista 45 quilómentros da sede da Provincia reclamam por apoio urgente em alimentos e medicamentos devido à fome e má-nutrição que enfrentam.


A semelhança de outras localidades, a fome e a má - nutrição que assolam as famílias desta localidade resulta da estiagem que comprometeu a produção agrícola e a segurança alimentar das populações. Através do contacto telefónico o Soba da região (autoridade tradicional) lançou o grito de socorro.


E a Caritas de Benguela em resposta lança neste final de semana uma campanha de recolha de bens para a localidade de kapilongo, como fez saber Teresa Augusto.
Entretanto a acção da Igreja para com as vítimas da seca e da fome no país, esteve entre os pontos analisados na reunião ordinária do Conselho Permanente da CEAST que decorreu de 13 a 14 de Agosto, em Luanda.


Entre as províncias que sofrem com este fenómeno, também está o Namibe, onde o bispo local Dom Dionísio Hisilinapo reconheceu a existência da fome e apelou por soluções concretas.


Em Maio, o Presidente República de Angola João Lourenço visitou o Namibe e o Cunene, para constatar o impacto da estiagem prolongada nestas províncias. O executivo angolano já disponibilizou um fundo de para acudir as vítimas.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: