Lisboa – Uma família que reivindica ser membro da família do vice-Presidente de Angola, Bornito de Sousa Baltazar Diogo recorreu as redes sócias para lançar um pedido de apoio a comunidade internacional na qual apelam por pedido de asilo por alegada perseguição familiar em Angola.

Fonte: Club-k.net

Através de um vídeo, o seu autor que se apresenta como Mauro Baltazar reclama ser neto de Catarina Bento, nome que coincide com a de Catarina Manuel Simão Bento “Katika”, a falecida mãe do Vice-Presidente, Bornito de Sousa.

 

O Jovem que alega ser filho da irmã mais velha do Vice-Presidente de Angola, alega que as vezes não tem o que comer por isso apela aos governos e a comunidade internacional proteção. “Precisamos de ajuda porque saímos de Angola por causa do Vice-Presidente e a sua esposa também conhecida por Mizé”, a quem o jovem atribuiu focos discórdias.

 

“Ninguém na família iria ter coragem de falar isso, nem eu teria coragem de fazer este vídeo por causa da posição que este Senhor [Bornito] tem e da sua esposa, chamada Mizé”, diz o jovem autor do vídeo que tem ao lado uma senhora que diz estar gravida de 9 meses.

 

“A qualquer momento posso ter o bebê, não esta fácil. Estamos a correr perigo de vida por causa de duas pessoas”, diz a mulher gravida que alega pertencer a família Baltazar de Sousa. A mesma alega estar a passar “muita dificuldades”


Desde a divulgação do vídeo, a Vice-presidência ainda não reagiu as alegações de Mauro Baltazar e da senhora que se apresenta como familiar de Bornito de Sousa.


Desde os últimos dois anos tem se registrado o crescente numero de famílias angolanas a deixarem o país rumo ao exterior para asilo. Nas estatísticas do governo português, os angolanos tem liderado a lista do que mais tem solicitado pedido de refugio. Em Luanda, o consulado português passou restringir os vistos sobretudo para os menores de idade.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: