Lisboa – O Presidente da República, João Lourenço voltou a entregar a concessão de um dos terminais portuários do Porto do Caio à sociedade CAIOPORTO S.A. para garantir a recuperação do seu investimento na implementação do Projecto, segundo um despacho presidencial que o Club-K teve acesso.

Fonte: Club-k.net

A CAIOPORTO S.A é uma empresa privada detida a 99,9% por Jean Claude Bastos de Morais, antigo “testa de ferro” de José Filomeno dos Santos, a quem as autoridades haviam confiado, em 2012, a execução do projeto de construção do Porto do Caio, em Cabinda. Na altura, a CAIOPORTO S.A beneficiou de investimento de 180 milhões de dólares americanos do FSDEA no porto, através do fundo de infra-estruturas de 1,1 mil milhões de dólares americanos do Fundo Soberano de Angola.


Com a entrada de João Lourenço, a CAIOPORTO S.A foi afastada no projecto de construção do Porto Caio, de Cabinda, devido a problemas de transparência e integridade. Em Janeiro de 2018, o novo Presidente angolano, criou uma comissão para negociar a cessação do contrato de concessão para a execução do projeto de construção, atribuído à empresa Caioporto, de Jean-Claude Bastos de Morais.


Há poucas semanas, e através do Despacho Presidencial n.º 166/19, o Presidente Lourenço decidiu extinguir a referida Comissão de Negociação da Cessação do Contrato de Construção do Porto do Caio e autorizou o Ministro dos Transportes, Ricardo de Abreu a outorgar a concessão de um dos terminais portuários do Porto do Caio à sociedade CAIOPORTO S.A. para garantir a recuperação do seu investimento na implementação do Projecto.

Tema relacionado

Governo afasta sócio de Zénu no contrato do novo porto em Cabinda

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: