Luxemburgo - A comunidade angolana no Luxemburgo tem "enormes expectativas" sobre o primeiro encontro com o novo embaixador, Georges Chikoti, a ter lugar no sábado, na cidade do Luxemburgo. Representação consular no Grão-Ducado e direito de voto dos emigrantes são algumas das reivindicações que vão ser transmitidas ao embaixador.

Fonte: Wort.Lu

Em declarações à Rádio Latina, o presidente da mais antiga associação angolana no Grão-Ducado, António Gomes Pinto, reconhece recentes melhorias no atendimento consular em Bruxelas e uma maior celeridade na emissão de documentos.

No entanto, aponta que há problemas ainda por resolver, a começar por uma representação consular no Grão-Ducado para atender os cerca de mil angolanos.


Outra reivindicação que o dirigente associativo e capitão na reserva da Força Aérea de Angola vai apresentar no encontro com o embaixador é o direito de voto da comunidade residente no estrangeiro nas eleições gerais, em que se escolhe o Presidente da República e a composição do Parlamento.


António Gomes Pinto, presidente da Associação de Amigos e Nacionais de Angola (AANA), a exigir o direito de voto dos emigrantes angolanos.

 

O encontro com Georges Chikoti, embaixador de Angola junto da Bélgica e Luxemburgo, está marcado para este sábado, entre as 16h30 e as 19h, no Centre Societaire (rue de Strasbourg, n° 29), na capital.

 

No dia seguinte, domingo, será a vez de um encontro entre as mulheres angolanas e a embaixatriz, Alda Chikoti, no mesmo local, entre as 10h e as 12h.

 

A visita de Georges Chikoti acontece no âmbito das permanências consulares, no mesmo local, no sábado (das 9h às 16h) e no domingo (das 9h às 12h).


Georges Chikoti, tem residência oficial de embaixador em Bruxelas e também desempenha as funções de representante permanente junto da União Europeia.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: