Lobito - Um agente de segurança privada foi detido pela Polícia Nacional por supostamente ter morto a tiro um jovem, de 20 anos, à porta de um estabelecimento comercial, na Rua Bartolomeu Dias, cidade do Lobito, província de Benguela, disse hoje à Angop fonte policial.

Fonte: Angop

Artur Bernardo foi morto na madrugada do último sábado, 16, quando tentou desarmar o segurança Feliciano Domingos, de 58 anos, que se encontrava de serviço. O disparo fatal saiu da arma de fogo que o funcionário da empresa de segurança privada usava.

 

Fonte policial contou à Angop que, embora tudo aponte que se tratou de um disparo acidental, o Serviço de Investigação Criminal no município do Lobito (SIC) está a investigar as circunstâncias do tiro, que atingiu a parte lateral do pescoço da vítima.

 

No depoimento às autoridades, o segurança explicou que a vítima estava a simular urinar ao lado da porta do estabelecimento comercial, mas ao ser abordado sobre o facto reagiu tentando furtar a arma e, na sequência, esta disparou acidentalmente atingindo-o na lateral direita do pescoço.

 

Foi então que o segurança Feliciano Domingos, apercebendo-se do disparo, foi participar o caso à 1ª Esquadra da Polícia Nacional, no Lobito, onde acabou detido pelas autoridades e acusado por homicídio preterintencional - quando não há a intenção de matar.

 

De acordo com uma testemunha, apesar de baleado, Artur Bernardo, em pânico, foi atrás do segurança enquanto este se dirigia à referida esquadra da polícia, mas, não resistiu aos ferimentos, acabaria por cair minutos depois.

 

Uma equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica de Angola (INEMA) foi chamada ao local, mas encontrou o jovem já sem vida. O corpo foi então transportado para o Hospital Geral do Lobito.

 

O processo-crime corre sob a direcção do Ministério Público. O agente de segurança privada arrisca a acusação de homicídio preterintencional.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: