Luanda - Dois cidadãos, por sinal gémeos, ambos com 18 anos, foram queimados por populares e um deles acabou por perder a vida, depois de terem sido confundidos com marginais no bairro da Sapu, município do Kilamba Kiaxi, em Luanda.

Fonte: JA

Zito António, tio do malogrado, explicou, ao Jornal de Angola, que o incidente ocorreu na madrugada de sexta-feira, quando os dois irmãos gémeos e um sobrinho regressavam de um convívio na zona do Kimbango e se dirigiam para a casa dos pais junto à Praça Nova. O tio disse que os sobrinhos foram interpelados por moradores, alegando que se tratava de meliantes que pretendiam assaltar residências no bairro. Conta que depois de várias interrogações, foram amarrados, espancados e, de seguida, atirados ao lume. Mesmo depois de terem sido lançados ao fogo, um deles escapou e correu até a casa, onde deu a conhecer o sucedido ao pai que, prontamente, se deslocou até ao local do sinistro onde se deparou com o corpo do filho completamente carbonizado.


Zito António condenou a atitude dos moradores em fazer justiça por mãos próprias, sob a alegação de que se tratava de assaltantes. Trata-se do terceiro caso de morte em menos de duas semanas que ocorre no bairro da Sapu, junto à Praça Nova, protagonizada por moradores organizados, que justificaram as mortes com o facto de serem constantemente assaltados.


O malogrado foi a enterrar no sábado, no Cemitério da Camama, ao passo que o outro irmão encontra-se internado no Hospital dos Queimados, no Distrito Urbano do Zango. Os gémeos viviam com os pais na zona da Sapu e dedicavam-se à venda de água, com recurso a uma motorizada de três rodas.


O caso, segundo Zito António, já é do domínio da Polícia Nacional do bairro da Sapu.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: