Luanda - Resumo: A Metodologia, é parte fundamental do que é científico, assimilamos como ciência a sistematização do conhecimento, a leitura como factor decisivo do estudo, ela atiça a ampliação da inteligência, viabilizando o entendimento das situações, e supina a mente a novos horizontes, porém “Qualquer” reflexão académica realizável e que sanam os verdadeiros problemas vividos pelos cidadãos, chamar- se-ia, nesta analogia de factores das relações científicas e económicas das ciências, neste artigo destacamos os ramos dos transportes, construção civil, agricultura e Ambiente.

Fonte: Club-k.net

Ramo dos transportes, construção civil, agricultura & ambiente

Prelúdio


As soluções humanas, nunca terão uma única ciência ou ramo da mesma ao seu serviço, elas impelir- seção, dando evidência da relação Científica e Económica do saber, impulsionando assim as economias e transformando os Estados/Nações em zonas vivas, onde o Bem-estar social deve predominar a vida dos cidadãos. A sabedoria científica dos Transportes, Construção Civil, Agricultura e as Ciências Ambientais, e não só, fazem parte dos sectores produtivos que o país merece organizar, e apostar de formas a contribuírem positivamente na estabilização duma nova Economia Nacional.

Enquadramento


Para aplicabilidade e adaptabilidade de qualquer processo produtivo, projecto ou teoria, os Sectores do saber mencionados precisam do apoio da Matemática, Física e Tecnologia. A Matemática apoia-as com a Cartografia, Geodésia, Geoestatística, Fotogrametria e Topografia, etc. Na Física coabitam com Ambiente, as (3) Biogeografia as (2) Climatologia, Geografia e Ecologia de paisagem, etc. E na Tecnologia aglutinam com a Geocodificação, Geoprocessamento, Geossistema, Sistema de informação geográfica (GIS), Sistema de navegação por satélite (GNSS), deteção remota, análise espacial e Pesquisa qualitativa. Contudo, a Geografia dos transportes soluciona a coabitação do homem e a sua interação com os espaços e os meios de transportes. Esta visão é sustentada também pela publicação realizada por Dr. Jean-Paul Rodrigue, do Dept. of Economics & Geography, da Hofstra University em Hempstead, Nova York.


A Regressão de algumas sociedades Africanas, no tempo e no espaço, em parte, tem a ver com bloqueios, mercantillismo e pouco uso da ciência "saber fazer", como caminho certo da solução, quase que de todos os problemas existentes, causado por parte de alguns dirigentes. A realidade é que as instituições Africanas, na sua maioria estão ao nível dos seus representantes, por isso não registamos crescimento em todo continente depois de 5 décadas. Nem um país avançado no mundo actual, cresceu sem a valorização e o uso da ciência, espero que aprendamos todos a valorizar os investigadores nacionais e o saber local, depois da problemática do covid-19.

Hipóteses


Os cientistas, ou técnicos dos sectores mencionados devem ser equipas multidisciplinares que tenham como objectivos realizar projectos socioeconómicos reais na visão dos ramos das ciências mencionadas, nos transportes buscar a realização de estudos de tráfego, viabilizar os planos estratégicos de logística e transportes, efectuar estudos para a planificação urbana dos transportes das diferentes cidades, avaliar a mobilidade e a demanda por cada modo de transporte, estabelecer intervalos de provimento de serviços para sistemas de transportes (Terrestres,Maritimo e Aéreo), devem ainda avaliar,diagnosticar e implantar medidas para aumento da segurança no trânsito, acompanhar a realização de obras de transporte e estabelecer novas formas de mobilidade urbana. A ciência nos Transportes, soluciona ainda problemas como optimização da capacidade de tráfego, visando reduzir congestionamentos criando eficiência e eficácia na mobilidade de pessoas, cargas e bagagens. A Construção Civil redefine e define de forma factual a urbanização e reforma de infra-estruturas e instalações habitacionais e comerciais. Sem o desenvolvimento da agricultura sempre haverá fome e importações. O sector ambiental assegura a estabilidade, sustentabilidade, biodiversidade, bioeconomia e recuperação das áreas degradadas ou contaminadas, promovendo a conservação do meio-ambiente, aflorando prosperidade sustentável das cidades.


Resultados

As relações económicas destes sectores consiste na produção, gestão, distribuição e consumo dos recursos, bens e serviços escassos de um determinado orçamento, pertencente a um território, seja esta uma economia capitalista, socialista, comunista ou outras, facilitando a mobilidade, urbanização, produção e sustentabilidade dos ecossistemas com soluções eficientes dos problemas socioeconómicos dos cidadãos, dando lugar ao Estado-providência.

Discussão


Qualquer produção consiste numa relação humana, seja ela física ou filosófica, a relação humana viabiliza a produção, e qualquer produção de bens e serviços evidenciam a metodologia científica, com o objectivo principal de estimular a economia, a estas relações de produção teóricas e práticas chamar- se-ia de factores das relações científicas e económicas das ciências. Sabe-se que o homem vencedor, tem de saber perder, ser humilhado posteriormente ganhar, e ser vencedor, porque o poder absoluto leva o homem a loucura, conforme dizia Sócrates grandes mentes discutem edeias, mentes medianas discutem eventos, mentes pequenas discutem factos, porque todos nós fazemos escolhas, o difícil é conviver com elas, assim que todo bem que vem do homem, tem a sua maldade, portanto a economia sempre será incerta.

Conclusão


Concluímos que o saber científico local é parte fundamental do desenvolvimento para o país, a experiência não é determinante para exercer funções, porque neguem nasce experimentado, toda experiência tem a sua primeira vez, as relações coordenadas sectoriais são cruciais, “saber fazer e valorizar os verdadeiros diplomas em primeiro lugar”, se não vejamos, melhor seria fecharmos todas as escolas, institutos e universidades a nível do continente. Contudo, Audácia, Audácia a vossa benevolência pela ciência, e façamos do (conhecimento) uma realidade para África, dando oportunidades laborais a todos os intelectuais eficientes, albergando-lhes nas classes das estruturas decisivas, ai onde se observa inexistência e ineficiência organizacional e de boa gestão, porque os recursos dos africanos devem ser usados para desenvolver África, a gestão eficiente em Angola dos sectores analisados podem vir a contribuir cabalmente para o PIB Nacional.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: