Luanda - Nesta data tinha 12 anos de idade, vivia numa vila sem comunicação rodoviária; Cazage ( comuna do município do Dala/Lunda-Sul) era um dos centros( zona) da guerrilha da luta contra a colonização secular portuguesa.

Fonte: Club-k.net
A PIDE era terrível, a única justiça para os então apoiantes dos turras (FNLA, UNITA e MPLA) era a morte.

Vivíamos quase diariamente debaixo de fogo militar; era raro passarem dois dias sem que os turras atacassem a vila; as mortes eram raras, porque a maioria população sendo apoiantes, estes escondiam-nos e a madrugada o fogo era centrado para o quartel do exercito colonial (incluindo a GEA e FLECHA).
Era impensável a queda do regime Salazar.

SURPRESA 25 DE ABRIL

Dia 25 de Abril a vila silenciosa, sem as habituais movimentações da tropa, da PIDE, dos comerciantes e diversos agentes brancos e a escola encerrada; eram conversas em grupos de brancos e seguidamente a abandonarem a vila para o Luso e outros para Henriques de Carvalho.

Os meus amigos, filhos dos brancos, nos carros, inocentes, a despediam de mim: Calha (nome pelo qual que era carinhosamente tratado, por ser guloso), a Deus, xau - eu e eles lagrimando por aquela inesperada separação e despedida.

CAUSAS DO 25 DE ABRIL

O regime salazar português era tão cruel (ditador) com o povo português, mesmo sendo um país independente, não era democrático; ou seja, o povo não tinha liberdade; a PIDE era muito mais terrível com o próprio povo português.

A ditadura contra o povo português, forçou os filhos portugueses militares a derrubar naquela data o regime salazar e instaurar a liberdade (democracia) em Portugal - um bem sagrado conquistado e pelo qual o povo português se orgulha, e determinante da harmonia e do desenvolvimento de Portugal.

CONSEQUÊNCIAS DO 25 DE ABRIL PARA AS COLÓNIAS PORTUGUESAS

Angola era uma das colónias (a par de Moçambique, Cabo-Verde, São Tomé, Guine-Bissau).

Graça a bravura dos filhos portugueses que resultou na queda da ditadura (regime) de Oliveira Salazar, que determinou a precipitação da independência das colónias portuguesas.

Portugal colonizou Angola e outros países, mas a que reconhecermos que o povo oprimido português exerceu uma missão histórica para a nossa libertação nacional.

As guerrilhas nacionais influenciaram a discordância entre a liderança colonial, mas os oprimidos portugueses determinaram a independência das chamadas províncias ultramarinas.

PÓS 25 DE ABRIL

Os três movimentos de luta de libertação assinam os acordos de cessar-fogo com o portugal, e o mpla por divergências internas resultantes do Congresso de Lusaka, no qual Daniel Chipenda foi eleito presidente do MPLA e inviabilizado pelo grupo de Agostinho Neto, derrotado, graça a influência do PCP, foi o ultimo a fazê-la nas chanas de Lunhamege (Moxico).

Seguiu-se as negociações que resultaram na assinatura do Acordo de Alvor, 15 de Janeiro de 1975, que previa entre várias acções, a proclamação da independência dia 11 de Novembro de 1975 e a realização de eleições em 1976, como condições democráticas.

MPLA sob orientação e apoio da ex-URSS, Cuba e do Partido Comunista Português, optou pela violação dos Acordos de Alvor, iniciando incitação à violência, expulsando a FNLA e a UNITA.

Na estratégia de violência politico-militar para o controlo do poder, o slogan instrutivo era: " quando o poder está em causa, as eleições cheiram cóco".

Naquela altura, sendo ainda criança e a com responsabilidade de Coordenador Comunal da OPA e da JMPLA, ingenuamente, não percebia as diferenças ideológicas (comunismo e capitalismo).

Com agressividade politico-militar, o Mpla, inviabilizou a realização das eleições em 1976 que poderiam resultar na vitória da UNITA ou da FNLA e no inicio da democracia a par de Portugal. Infelizmente, o M assumiu o poder pela força e instaurando o monopartidarismo baseado em economia planificada, ditadura, discriminação, etc. e com a essência Angola monopartidaria constituir o a base de expansão do Comunismo ( Marxismo-Lenenismo) na África Austral.

O Mpla é pior que o colonialismo português.

O Mpla, sendo um partido de orientação comunista selvática, foi, é e continuará contra Angola.

À todos os Angolanos se impõe o espírito da luta de libertação nacional e do 25 de Abril contra o histórico inimigo de Angola.

Os Angolanos não deveriam procurar o autor do atraso de Angola no desenvolvimento, da destruição e das mortes de milhões de Angolanos, da pobreza e miséria.

O MPLA foi e continuará contra Angola e os Angola.

União para mudança.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: