Luanda - INTRODUÇÃO: O presente texto tem como principal finalidade compreender as dificuldades de aprendizagem em crianças com necessidades educativas especiais em Luanda. A aprendizagem pode ser definida como a modificação através das experiências, incluindo a reflexão não estando limitada à modificação através do contacto com o ambiente externo.

Fonte: Club-k.net


Há algumas que envolvem a reflexão acerca da experiência passada ou a manipulação do conceito abstracto, que não foi encontrado de uma forma concreta no ambiente externo.

 

Segundo Good & Brophy (1990), aprendizagem é a modificação relativamente permanente na capacidade de realização, adquirida através da experiência. A experiência pode envolver interacção com o ambiente externo, mas envolve também (e às vezes resume-se) processos cognitivos. Deste modo, os factores que exercem influência na aprendizagem são: inteligência, motivação, aprendizagem anterior, experiência, factores sociais.


A aprendizagem relaciona-se aos conceitos de modificações desenvolvimento e pensamento. Portanto, à aprendizagem, o desempenho pode variar em função, por exemplo, da fadiga, da ansiedade, do efeito de drogas, apresentando-se mito mais variável do que a aprendizagem, que é considerada relativamente permanente, que a aprendizagem não se relaciona apenas com o conhecimento factual, não é sempre correcta, não é necessariamente intencional e deliberada, e por sua vez é um constructo teórico.


As dificuldades podem advir de factores orgânicos e emocional é importante que sejam descobertos, afim de auxiliar o desenvolvimento do processo educativo, percebendo se estão associados aos factores desde a preguiça, cansaço, tristeza, agitação, desordem bem como outros factores que por sua vez desmotivam o aprendizado. Deste modo, também reflectem-se por sua vez nas incapacidades para a aprendizagem de leitura escrita ou cálculo para aquisição de aptidões sociais. Deste modo, as dificuldades de aprendizagem, não devem ser consideradas como se fossem problemas insolúveis, mas como desafios que fazem parte do próprio processo de aprendizagem. Deste modo, é necessário identificar e preveni-las de forma precoce de preferência a pré-escolar.


REFLEXÃO FINAL


Neste trabalho a análise recaiu sobretudo à problemática das dificuldades de aprendizagem em crianças com necessidades educativas especiais em Luanda.


As pessoas com dificuldades de aprendizagem apresentam os seguintes problemas: fraco alcance da atenção, dificuldades para seguir atenções, imaturidade social, dificuldade com a conversação, inflexibilidade, fraco planeamento e habilidades organizacionais, distracção, falta de destreza e a falta de controlo dos impulsos.

 

É de frisar que, após a pesquisa realizada, apraz-nos referir que, a falta de acompanhamento dos pais bem como a falta de empenho por parte dos professores são os factores determinantes das dificuldades de aprendizagem em crianças com necessidades educativas especiais. Existe dificuldades de aprendizagem em crianças com necessidades educativas especiais. A ausência de psicólogo escolar está na base das dificuldades de aprendizagem em crianças com necessidades educativas especiais. A falta de acompanhamento dos pais e encarregados de educação influencia o absentismo escolar. A escassez de materiais didácticos exerce influência significativa nas dificuldades de aprendizagem em crianças com necessidades educativas especiais. A falta de acompanhamento das crianças pelos pais contribui de forma significativa nas dificuldades de aprendizagem em crianças com necessidades educativas especiais. O insucesso escolar é uma das consequências que decorrem das dificuldades de aprendizagem em crianças com necessidades educativas especiais.


Portanto, inúmeros motivos podem surgir quando os alunos apresentam comportamento desviante ou seja, têm dificuldades de aprendizagem se comparado aos outros alunos. Na verdade devem existir diversos factores que contribuem para isso. Assim sendo, ao agruparmos estes factores de acordo com a fonte do problema, conseguiremos identificar quais especificamente as características que criam um aluno com uma boa ou má performance dentro da sala de aula.


1.Licenciado em Sociologia da Educação pelo Instituto Superior de Ciências da Educação-Luanda e Mestrando em Sociologia do Trabalho pela Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Agostinho NETO, Professor da Escola do I° Ciclo do Ensino Secundário 2005 da Nova Centralidade do Kilamba.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: