Luanda - O funesto ano de 1977 em Angola, fez-lhe registar no seu peito o dia – “27 DE MAIO”. Simbolicamente tatuada com sangue, as dores lacinantes dessa inscrição, continuaram gritadas até hoje.

Fonte: Club-k.net

Os caprichos humanos cruzaram-se com as utopias políticas e a herança de Caim, ditou a morte de irmãos. Agostinho Neto, o conhecido Guia da Revolução, não querendo imitar Deus, mesmo sentindo-se como um tal na sua terra, disse que “não haveria perdão”. Inadvertidamente, era reformulada a filosofia da Inquisição!


E como qualquer revolução se nutre das suas pròprias entranhas, o sacrifício parecia tragicamente legitimado.


Criado dois campos na mesma revolução: o dos jovens de pensamento soviéticamente inovador e o dos maduros adultos de pensamento africano vermelho. Ficou assim instaurado mais um Fraccionismo. Porém foi o mais histórico!


A experiência das raposas políticas, suplantou o ingênuo pensamento revolucionário da nova geração. O Fraccionismo, ficou como a sigla elegantemente política duma hecatombe fraticida. Foi a consumação do sacrifício, que a revolução ditada pelo “Guia Imortal”, retinha necessária.


Como toda a revolução, também esta, precisava de nutrir-se dos seus filhos: - “Amarrem-nos onde forem encontrados!” – anunciou-se com títulos de realce. Numa réplica inglória de revolução francesa, cabeças teriam que rolar e o teatro fatal, estava marcado pelos cabecilhas: - Nito Alves, José Van-Dúnen e Sita Valles – esta que ficou como a réplica angolana de “La Passionária”. Sita foi mulher cuja rebeldia expressa até à medula, fez justificar a implacabilidade dos inquisidores, para uma morte, que lhe ultrajou a maternidade - sucumbindo com uma vida dentro dela. Foi como um derradeiro castigo por afrontar gente masculina.


A mudança convulsivamente exigida pelos cabecilhas, misturou-se com as vilãs habilidades políticas, que aumentou o endosso das culpas destes, e acabaram desgraçadamente encurralados pelas circunstâncias que tinham criado.


O “Guia Imortal’, não queria perder tempo com julgamentos e assim a sanha assassina absorveu todos, que se encontrassem no rol dos culpados da circunstância. Gritos, berros, barulhos: de vítimas, de algozes, de armas, de tanques, de camiões, de helicópteros, compuseram a procissão de morte que tornaria inesquecível, o 27 DE MAIO!

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: