Sumbe – O assunto por cá é muito sério. Em pouco tempo de governação do Kwanza-Sul Job Pedro C astelo Capapinha roubou mais que o necessário o erário público em seu benefício próprio com cumplicidade de seus amigos mais próximos.

Fonte: Club-k.net
Esta situação impõe que a sociedade Kwanzasulina se levante em grito de socorro ao chefe do executivo angolano João Manuel Gonçalves Lourenço a atender o seu pedido de substituir Capapinha por alguém mais sério e comprometido com a causa do povo desta parcela do território nacional.

Passaram por cá, Paulo Gaspar, Paulo Luís Dokui de C astro, Armando Fandamo Ndembo, Fransciso José Ramos da Cruz, Aurélio Segunda, Francisco Higino Lopes Carneiro, Serafim Maria do Prado e Eusébio de Brito Teixeira que supostamente também não tiveram uma governação de encher os olhos como criticam os habitantes locais, mas, a chegada de Capapinha ao Kwanza-Sul, este que já havia desgraçado Luanda dá entender que o executivo central desconhece a realidade do povo destas paragens.

Do primeiro ao quinto governante só para situar, fizeram seus mandatos nos tempos das vacas magras. A partir do segundo mandato de Ramos da Cruz e seguimento dos demais, as vacas começaram a engordar e, engordaram mesmo, tendo aguçado o interesse destes em meter a mão na massa. Uns governaram bem. Outros governaram normal mas alguns desses governaram muito mal. Hoje a governação é péssima.

Devemos aqui ressaltar os bons préstimos que teve Higino Carneiro quando por cá passou. Soube seleccionar quadros a altura das encomendas, maior atenção a imprensa enfim…uma governação excelente.

Serafim do Prado, governou razoavelmente e, como na era de Higino foi vice-governador, sabia muito bem com quantas linhas se pudesse cozer um remendo. Quiz seguir a peugadas de Higino no desvio de fundos públicos mas, ainda lhe faltava tarimba para o fazer uma vez que o seu antecessor tirava sim mas, sem prejudicar o povo.

Tirava para beneficiar as populações e as vezes tirava do seu bolso para os interesses do povo e depois repunha ainda que tirasse duas vezes mais (excelente governante com visão altruísta).

Serafim acabou por se sair mal na fita porque estava mais preocupado com seus interesses e não os da população que jurara servir. Servíu-se a sí próprio em vez de servir o povo.

Outro governante quase à dimensão de Higino Carneiro foi o general Eusébio Teixeira não fosse a importação de quadros buscados no Kuando Kubango, Luanda, Benguela e Bié sendo os mais chegados a ele que o traíram como Judas.

O general é homem do povo e sabe estar com o povo. Trabalhou durante cerca de seis anos com sentimento de servir as populações mas foi mal interpretado pelos seus mais directos colaboradores que até passaram a chancelar a sua assinatura como o fizeram o seu secretário geral e o chefe do seu gabinete.

Eusébio revolucionou o seu partido o MPLA e conseguiu na fase da campanha eleitoral passada engordar o partido dos camaradas com quase seiscentos mil novos militantes que abandonaram as fileiras da UNITA, PRS, CASA-CE e muito mais.

Eusébio motivava e cativava as populações e, foi bastaste interactivo até com opositores do seu partido. Projectou nas comunidades escolas de 12 e 24 salas de aula com dimensão administrativa sem igual sendo que algumas delas por acabar por suposta falta de verba, mas foi um feito a considerar. Foi a par de Higino Carneiro, um dos melhores governadores e deixa muitas saudades no seio de muito boa gente.

Com a vinda de Job Capapinha que logo após sua chegada gritou aos quatro ventos que veio para acabar com a poeira e lama mas, desconseguiu, a província do Kwanza-Sul conheceu o momento mais dramático em toda sua história. Governo foi dominado por: incompetências, roubo ou desvios do dinheiro público, prostituição, bajulação, corrupção e todos os males possíveis.

Perante tal comportamento, funcionários de todo extracto do governo do Kwanza-Sul e da sede do comité provincial do MPLA endereçaram uma carta a este portal com teor seguinte:

CARTA

Job Capapinha na verdade é um grande estratega, em termos de arrumar a casa a seu favor, isso temos de reconhecer! Quando ele foi consultado para governar a província do Kuanza Sul, antes de dar «o sim», ao Manager da negociação, tratou de investigar como o povo do Kuanza Sul se comportava com os novos governantes.
Logo ele percebeu que Eusébio de Brito, trouxe muita gente do “KK” e Job Capapinha mudou de estratégia e veio logo para o Kwanza Sul.

Veio sozinho apenas, trazendo uma ou outra pessoa sem visibilidade. Mas a sua estratégia estava bem montada, ele logo que chegou descobriu que alguns membros do governo se acomodavam com «mesquinhas», logo; distraiu o povo e alguns membros do governo, confiando todos nas suas funções e ele de fininho como aprendeu bem, gamar toda massa da província, sem que ninguém o fale nada porque estão distraídos nos cargos simples e se esqueceram de pensar a província.

Todos que ele nomeou ninguém tem coragem de dizer não a ele, e até mesmo quando são faltados com o respeito… todos que ele nomeou sem excepção. Apenas alguns que ele encontrou, das antigas governações é que não lhe dão confiança. Ele destrata e desrespeita as pessoas, é só para ver nos encontros, o seu cinismo.

Aqui como trabalhadores das várias instituições do governo provincial e temos estado em vários encontros e temos tido contactos com alguns documentos vamos aqui apresentar a vergonha da governação de Job Capapinha nos destinos do Kuanza Sul, apadrinhada por alguns filhos da província que o ladeiam:

1. Como é possível, Sua Excelência Governador Job Capapinha, mandar fechar a casa de representação em Luanda que já existia, e depois de um tempo mandar abrir uma outra casa? A casa em causa é sua pertença, mas neste negócio que ele está fazer consigo mesmo a casa está em nome do Mário (seu operativo que veio com ele desde o Movimento Espontâneo e Amangola). Vai desde a reparação e mobília da própria casa que não anunciou qualquer concurso pelos valores envolvidos e mais uma vez colocou uma sua empresa, gerida pelo seu operativo “ o Super Mário” e com a negociação do Secretário do governo provincial Carlos Henriques, o conhecido «Papa Tudo» e ali milhões de Kuanzas, que deveriam ajudar a província ficaram com este trio. E o mais /Grave/, na antiga casa de representação todos os trabalhadores voltaram para a província e estão os trabalhadores da empresa de Sua Excelência Senhor Governador a prestar os serviços na mesma casa. No último concurso público promovido pelo Governo vieram pessoas ligadas ao governador, saídas da capital do país, cujo objectivo é o enquadramento e ficarem a trabalhar na mesma casa. Isso é normal?

2. Existe no Governo de Job Capapinha um senhor de nome «Carlos Henriques». Este Carlos Henriques, foi levado ao governo como Secretário-geral sobre proposta do senhor Gildo Venâncio. Só que ele foi tão astuto, deixou o Gildo em parampas e ele passou a ser o homem directo do Senhor Governador. Antes só para entender: Este Senhor Carlos Henriques, é alguém que já esteve envolvido em processos Crimes de desvio de dinheiro, na sua passagem pelo Hospital Provincial 17 de Setembro. Só não foi preso sabe Deus. Mas ainda Acreditamos que o SIC e o SINCE têm o dossier deste Senhor na mesa quando por sua causa milhares de pessoas morreram porque ele desviou o dinheiro do hospital numa grande ligação com o ex-Director da Sáude Adão Castelo, sobrinho de Capapinha, que usavam o Hospital Provincial para o desvio de dinheiro.
Só para entenderem quem é o Carlos Henriques. Agora vamos olhar o seu papel na governação do Dr. Job Capapinha: Carlos Henriques que foi ingrato para o Senhor Gildo que lhe trouxe, que também não era boa pessoa, mas o Carlos logo entrou, cortou contrato com todas empresas fornecedoras ou prestadoras de serviço no governo provincial. “Não aceitou pagar” as dívidas contraídas pelo antigo governo as empresas que prestaram vários serviços. E hoje ele não aceita atender estas pessoas. Mas a malandrice do Senhor Carlos Henriques, Secretário-geral do Governo provincial vai mais longe: Ele se apoiou na empresa Ango-Guerou, para todos os negócios possíveis do governo. Deixou de ouvir o GEPE e até as finanças para alguns pareceres. O mais grave até serviços que não tem no Ango – Guerou o Senhor Carlos faz parecer nestes seus negócios obscuros. Os polémicos Carros alugados de forma milionária, têm o seu dedo para depois dividir com o chefe. Que os órgãos de segurança podem inquerir o Secretário-geral do Governo Provincial do Kuanza Sul que tem dedo para lucros em todos e prestações de serviço de interesse do Governo. O Mesmo Senhor Carlos até queria servir o Hospital Provincial, mas ali ele teve de desistir, porque a luta era com a Empresa da Vice Governadora para o Sector Politico e Social Senhora Emília António, que tem “ ligações afectivas ao Governador” é amante do chefe. Ali ele percebeu que estava numa corrida que lhe iria custar caro. Assim temos o Carlos Henriques como o “ Papa Tudo” que existe nos contratos do governo provincial.

3. Enquanto funcionário desta instituição temos notado muitas irregularidades governativas sempre na gestão financeira e como sempre nos contratos: Pedimos a PGR e ao SIC que investiguem com profundidade onde está a origem da empresa que está prestar [Serviço de Limpeza] ao governo provincial e as Direcções provincial. É uma empresa ligada a Sua Excelência Governador Provincial do Kuanza Sul. Cometeram um erro tão grave ou seja um [roubo], contrato feito em Fevereiro com as acções a terem inicio em Março, mas lhe foi paga uma ordem de Saque a partir de Dezembro de 2019. Milhões de Kuanzas que estão a ir para esta empresa no pagamento das primeiras tranches das Ordens de Saque mesmo sem trabalhar. E o mais engraçado é que esta empresa que apenas limpa a sede do governo e as direcções provinciais está a cobrar mais do dobro do que a empresa que limpa a Cidade do Sumbe de Canto a Canto… Será isso possível? Vamos comparar o número de trabalhadores e os meios envolvidos? A empresa que limpa a cidade do Sumbe, nem sempre lhe pagam a tempo já houve fase que ficou quatros meses sem pagamentos. Mas como é uma empresa firme e seria, ( diga-se), nunca ouvimos reclamações de salários. Mas a nova empresa do Chefe as Ordens de Saque caiem com regularidade. Um escândalo que está ser preparado é que por orientação superior na pessoa do Senhor Governador mandou recolher o nome de todo pessoal de limpeza, pago pelo estado para colocar na sua empresa. O que vai acontecer? [eles trabalham para empresa do Capapinha nosso Chefe; o Estado Paga os Salários; A empresa recebe dinheiro do contrato, não paga salários porque o estado já pagou; E se manda com os lucros] SIC e PGR, essa lista já terminou de ser feita façam alguma coisa.

4. O Director Adjunto de Gabinete do Governador o Jovem Viera Lopes, Sobrinho da Mulher do Governador. Este rapaz agora se transformou no faz tudo e mais alguma coisa. Quase já está em cima do Gildo que é seu chefe. Este se transformou em homem de confiança do governador. Ele tem um cartão multi-caixa, para fazer pagamentos dos gastos de toda equipa nas viagens e alguns ambientes de bebedeira que eles as vezes criam. O Viera Lopes ou o Lopetegui, como lhe chamam no ambiente lá da Staff, tem a função além de Super Adjunto pois está em cima do titular, é também homem do protocolo e muitas das vezes atrapalha até o trabalho da UPIP pois ele nas viagens que fazem, ele o Lopes Serve até a comida para o governador sendo que em Alguns momentos ele mesmo tem de engomar os «Fatos do Governador» principalmente nas viagens do interior. “ Mas esta moderna escravidão é que se chama tirar proveito dos filhos da terra? Será que ele é que quer que fazer ou o Chefe é que o torna assim? Esta é a realidade da província. Mas bem o Rapaz Lopes além de fazer o seu trabalho de uma “competente bajulação”, teve a sorte de ganhar espaço no mau - estar entre o Senhor Gildo Venâncio e o Governador Capapinha, pelo facto lutarem pela a mesma miúda: A Odete da Graça. É que o Governador queria tanto a miúda Odete, mas sabem que o Senhor Gildo nisso ele é bom diga -se de passagem e foi o primeiro a abater a miúda. O facto deixou o governador tão furioso que nem na nossa frente como funcionários ele consegue disfarçar que perdeu com o Gildo a Guerra do Charme. Mas o chefe abateu também a secretária divorciada do António Ngombo.

5. Aliada a Governação de Job Capapinha, tem a sua Vice Governadora Emília António, Filha do Senhor Trocado, um Senhor muito conhecido na província do Kuanza Sul pelo trabalho político que desempenhou sendo uma das referências políticas do MPLA. Mas sua Filha a Vice Governadora para o Sector politico e social Emília Chinawalile António Salles Camuhoto, que até foi boa profissional quando esteve na maternidade. Agora cegou -se pelo dinheiro e está fazer aberrações de graves. Dela resta ainda o hábito de cumprimentar as pessoas, o que é bom para nós quando nos encontra no corredor ou em alguns sectores. [Mas a Chefe, desde que transformou -se em esposa do governador, agora já não consegue esconder mais. Nós que o vimos crescer até ficamos mal. Como a Vice é mulher do governador cada um come de um dos lados e ninguém fala nada. Como a empresa de seus pais servem a Maternidade e o Hospital provincial e o facto aconteceu sem a realização sequer de qualquer concurso publico. Ela com filha não é contrato consigo própria? E para piorar o escândalo o próprio governador, está realizar obras na casa do Senhor Trocado. Mas Assim vamos a onde? O governo está a pagar renda para a vice governadora que está viver na casa do seu pai. Isso é bom?

6. A esta altura com a requisição do Director do Gabinete da Saúde, pelo SIC através da requisição n.º 358, pois este caiu na finta do Capapinha e do Carlos na divisão do dinheiro da COVID – 19, que já não existe pois dividiu com os seus amigos se não conseguir se defender vai parar nos calabouços, quem está feliz é a Vice Governador para o Sector Social, Emília António, porque pode colocar duas amigas suas como Directoras deste Gabinete. Fala -se aqui nos nossos corredores, da sua Amiga actual Chefe de Departamento da Saúde Pública Delfina da Silva ou ainda a Directora da Maternidade Francisca Kwaia. São nomes que aparecem nos papéis. Mas não podemos se assustar se vermos nos próximos meses o Augusto Colile como Director da Saúde por ser da confiança da Vice Emília desde altura da Sáude Publica e agora seu director de Gabinete. Aqui a estratégia é so uma. Será colocar suas empresas a fornecer produtos e prestar serviços.

7. Assim está o governo do Kuanza Sul e nós os funcionários não podemos falar nada, porque só mesmo aqui estamos a ser perseguidos, pelos seus principais Bajus que a todo custo não deixam ninguém se aproximar do Chefe: Damião Santana, este muito sereno, amigo de todos com o seu Ndunga – Ndunga, mas muito espertalhão, é o grande queima-roupa para todos casos. Até com paciência de ouvir a todos mas depois faz ouvidos de mercador. Quintas Graça Majane, este outro astuto, agora com super poderes, pois mesmo não sendo quadro do governo, por ser apenas assessor e não ter qualquer até vai representar o governador em grandes encontros quando deveriam pessoas ligadas directamente ao sector. Este ainda tem o nervo de nunca conseguir carro, desde o tempo da Vice Lurdes Veiga agora nesta remessa, também os Land Cruiser, lhe passaram de fininho e está desmotivado. Mas ainda assim continua com a sua fidelidade ao seu Patrono {Job Capapinha}. António Madureira, este já não é de assustar a sua forma de bajular. Estamos lembrados como ele queria tornar Santidade o Adão Filipe e Salú Gonçalves. Só que com o Salú depois se desentenderam por causa de mulher e começou a destratar o Salú. Bem este é mesmo já o principal mau carácter, apanhou a fezada pela amizade do Tio Eduardo Magalhães com o Capapinha agora faz tudo mais alguma coisa. Não tem peso nem prestigio nos órgãos de comunicação social da província pois por ele ser irresponsável, e inconsequente não tem o seu valor. Ele até podemos entender ser o principal responsável pela reportagem da Ecclesia, sobre as “ Viaturas Milionárias” porque não soube tratar o assunto com os jornalistas. Ele não tem nenhuma visão para com os órgãos. Se do dinheiro que estão a roubar que é muito ele nas reuniões nunca tocou na situação de potencializar os órgãos com meios. Ele é um Yes Man e lambe botas. Só fala o Chefe disse.

Assim está o nosso Kuanza Sul, nós que muito trabalhamos para o seu crescimento e hoje a nos roubarem por alguém que tem muitas fintas para nos distrair.
Apresentamos assim a carta de funcionários do governo do Kwanza-Sul e do MPLA exteriorizando o seu sentimento de indignação pelo comportamento do governador local Job Capapinha datado de 15 de Maio do ano em curso.

Sumbe, 15 de Maio de 2020

OS FUNCIONÁRIOS SÉNIOR DO GOVERNO PROVINCIAL E MILITANTES FIRMES COM AMOR AO MPLA



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: