Luanda - Angola recuperou, nas últimas 24 horas, mais 14 casos da Covid-19 e mantém a cerca sanitária sob Luanda, obedecendo a continuidade do Estado de Calamidade, uma decisão tomada pelo Presidente da República desde o dia 25 de Maio, para reforçar e regular as medidas de prevenção contra a pandemia.

Fonte: JA

Os dados foram divulgados ontem, em Luanda, pela ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, na conferência de imprensa sobre actualização da Covid-19 no país.


Os dados foram divulgados, ontem, em Luanda, pela ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, na conferência de imprensa sobre actualização da Covid-19 no país. Com a recuperação dos 14 casos, o balanço das últimas 24 horas é de um total de 92 positivos, quatro óbitos, 38 recuperados e 50 activos, um deles a merecer atenção especial.


A ministra revelou que o vínculo epidemiológico no país é de 30 casos importados e 62 de contaminação local. O Centro Integrado de Segurança Pública recebeu 43 chamadas, sendo um de alerta de caso suspeito, duas denúncias e 40 pedidos de informação sobre a Covid-19. De acordo com a ministra, o Instituto Nacional de Investigação de Saúde recebeu 12.155 amostras, das quais 92 positivas, 11.719 negativas e 344 estão em processamento.


Ontem, as autoridades sanitárias deram alta a 227 cidadãos que estavam em quarentena institucional, sendo 188 em Luanda, 21 no Moxico, 12 no Bié, três no Huambo, dois na Huíla e um na Lunda-Norte. Deste número, estão incluídos estudantes com bolsa militar em academias russas, que regressaram ao país no dia 18 de Maio. Sílvia Lutucuta informou que as acções de formação e sensibilização continuam a nível nacional, sublinhando que a Comissão Multissectorial está a trabalhar e a desdobrar-se em várias tarefas.

 

Luanda mantém cerca

 

A ministra da Saúde informou que as fronteiras vão permanecer fechadas e a província de Luanda vai continuar sob cerca sanitária.

 

Sílvia Lutucuta exortou os cidadãos a manterem as medidas de protecção individual e colectiva, sublinhando que “nesta altura o mais importante é cortar a cadeia de transmissão”.

 

A cerca sanitária em Lu-anda foi decretada no dia 27 de Março, uma medida que impõe restrições à entrada e saída de passageiros, dando apenas prioridade a bens alimentares, materiais de biossegurança e pessoas doentes.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: