Uíge - No âmbito da rotatividade de quadros em termos de Chefia e Liderança no Ministério do Interior, à Província do Uíge, recebeu o Sub-comissário Monteiro Francisco Matias Dos Santos, como Delegado do Minint e Comandante Provincial da Polícia no Uíge. Desde a sua chegada nesta parcela do território nacional, o trabalho a nível deste órgão regrediu no que tange a qualidade, tudo porque trouxe consigo práticas pouco abonatórias, que têm minado a boa convivência entre o efectivo.

Fonte: Club-k.net

Nos seus primeiros 120 dias de trabalho como líder máximo do Ministério no Interior, tendo em conta o novo regulamento orgânico da Polícia Nacional, efectuou movimentações de vários Chefes que exerciam cargos de Directores das distintas áreas que conformam o CPPN-Uíge, tendo mesmo em conta o emagrecimento do aparelho de estado. Mas as movimentações feitas pelo Sub-comissário Monteiro Francisco Matias Dos Santos, foi da forma menos correcta, por não conhecer ainda os respectivos quadros que fazem parte do CPPN-UIGE. Tudo foi a base da indicação do Intendente Aniceto Luís Faria, ex-diretor do Gabinete do Comandante Provincial cessante. Superintendente Gaspar Joaquim Chefe de Recursos Humanos e Sub-comissário David Chitundo 2° Comandante Para a Ordem Pública. Que passaram mau testemunho de quadros de maneira injusta.


Estás ditas movimentações de quadros, no presente momento não demonstram nenhuma melhoria, pelo contrário baixou a qualidade do nível de trabalho Policial que se vinha registando, a quando da liderança do Comissário António Simão Leitão Ribeiro.


Dentro desta mexidas, movimentou-se o Director de Logística para o cargo de Comandante Municipal de Negage, Director de Inspecção para o cargo de Comandante Municipal do Uíge, sendo os dois quadros das suas respectivas Direcções Nacionais, com formação específica para o efeito. Por sua vez vinham nomeados pelas Direcções Direcções Centrais de Inspecção e Logística da Polícia.


Mudou o Director do Gabinete do seu gabinete como Comandante Provincial, colocando lá o Subinspector Jeremias, e o seu assessor Emiliano, trouxe-os da Província do Namibe, mas os dois não têm domínio do trabalho que exercem. Por isto o referido dirigente despacha de forma errada os documentos.


Tudo por querer trocar todos os Chefes deixados pelo seu antecessor no cargo de Delegado e Comandante Provincial. Comissário Leitão Ribeiro.


Fez a movimentação em quase todos os Comandantes Municipais, sem ter em conta o grau de operatividade e competência de cada responsável do Ministério do Interior nos municípios, nem se quer consultou os Administradores e Delegados Municipais do Sinse.


Também não foi feito as propostas de exonerações como Delegados nos municípios, uma vez serem nomeados pelo Ministro do Interior. Tem havido muitos atropelos em termos admistrativos, por parte do Delegado e Comando Provincial Monteiro dos Santos.


É bem visível a falta de competência para o actual cargo que ocupa, por isto, deveria primeiro procurar adquirir experiência com os quadros ora encontrados, no sentido de conhecer melhor quem é quem. Posteriormente faria as mexidas que quisesse. Mas o que temos vistos é que limita-se a ouvir dos indivíduos ou quadros que lhe servem como informantes, passando a serem elementos da sua inteira confiança. Por está razão o Comando Provincial da Polícia no Uíge, está virado de patas para o ar.


Deseja fazer as mesmas mexidas na Delegação Provincial do Interior, conforme prometeu na última formatura geral, que nos próximos 120 dias, fará movimentações, tal como sucedeu no CPPN-UIGE.


A Delegação do Interior tem muitos quadros com experiência e competência que ajudariam bastante na boa liderança do seu mandato, tal como aconteceu com a maior parte dos Delegados que passaram pela provincia do Uíge, mas estes quadros são menosprezados, humilhados pelo Delegado Monteiro. Exemplo o Superintendente Chefe Bombeiros Neves Truco, Director do DEIA, Superiormente Chefe Bombeiro Domingos Manuel, Director de Recursos Humanos. Se servissem como consultores, do novo Delegado, lhe ajudariam a colmatar as suas inúmeras dificuldades que apresenta em termos admistrativos, uma ser visivel a falta de domínio.


Entretanto aguarda-se as mexidas previstas na Delegação do Interior no Uíge. Esperamos que as ditas mexidas sejam para o melhoramento funcional da instituição, se assim não for, acontecerá tal como, no CPPN-Uíge. O Ministério do Interior no Uíge, ficará a quem dá qualidade que vinha demonstrado, fruto do bom trabalho e dinâmica deixada pelo Delegado e Comandante Provincial cessante Leitão Ribeiro.


Entretanto diversas vezes, o actual Delegado do Minint e Comandante Provincial da Polícia Nacional no Uíge, diz ser sobrinho do Presidente da República João Gonçalves Manuel Lourenço. Por está razão, veio Chefiar o Ministério do Interior no Uíge, a seu pedido pessoal, na qual não irá demorar, fará apenas dois anos no máximo...Lhe permitirá organizar a sua vida antes de ir para a reforma.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: