Sumbe  - Mais de 98% dos funcionários da Maternidade Provincial do Kwanza-sul, no Sumbe, estão desgastados com a forma de trabalho Da Directora geral daquela Instituição, que vem a liderar há mais de 18 anos, desde 2002. Gostaríamos de pedir a quem de direito que nos ajude a mudar este Quadro, será que neste Pais existe Democracia?

Fonte: Club-k.net

A Directora usa a Instituição como se fosse algo pessoal, não respeita os trabalhadores, não é Líder, é Chefe, ameaça os trabalhadores, exonera e nomeia quando quer, prevalecendo o nepotismo, bajulação e impunidade. Os funcionários ligados ao seu Gabinete, furtam os materiais de escritório durador para beneficio pessoal, como Computadores e Ar Condicionado. A mesma confia naqueles funcionários que bajulam ou informam o contrario sobre a vida de outros funcionários para serem confiados em relação aos outros. Os referidos funcionários estão cansados com este tipo de Governar, queremos mudança, chega de sermos maltratados na nossa terra.


Os 98% dos funcionários que vivem uma angustia e ao mesmo tempo são a voz dos sem voz nesta instituição, têm sido ameaçados nas consultas externa e interna. Os fornecedores são chefes do SINSE e tantos outros Chefes da Provincia para salvaguardarem a sua posição.


A Clinica do SISA foi construída com o dinheiro da Maternidade, as pacientes pagam dinheiro na Clinica mas recebem tratamento na Maternidade.


Muitas funcionarias da Educação, Interior e Justiça, recorrem à Clinica dela (SISA) a fim de obter uma junta Médica ou mesmo repouso maior, estes funcionários são enviados para a Maternidade para passar a referida junta médica e isto é muito fácil, porque a Directora é proprietária da Clínica (SISA) e é Directora Geral da Maternidade Provincial do Kwanza-sul. Este é o jogo que ela usa para aldrabar os Médicos da Junta. Muitas dessas funcionárias estão bem de saúde, mas como não querem trabalhar, mentem o Estado com a ajuda da Directora Francisca Cardoso Paulo Kwaya.


O Carro da Maternidade apoia a sua filha para ir ao Salão de beleza e nas festas nocturnas. O Motorista em Serviço tem de permanecer a sua espera (filha dela) que também manda como se fosse a própria Mãe, com isso, obriga os médicos e outros funcionários a pedirem boleia aos outros funcionários que têm meios. A Instituição (Maternidade) tem 4 (quatro) carros, sendo 3 em bom Estado, mesmo assim não param de alugar carros com preços muito altos, o que chamamos de subfacturação. Todos anos trocam os aparelhos do Ar Condicionado, uma prática constante para justificar os fundos públicos por ela desviados, a Directora e esperta e sabe roubar. Em plena reunião ela disse categoricamente que, ninguém está capacitado para lhe tirar do cargo de Directora Geral.


A Maternidade não tem dormitório para os Motoristas, eles dormem nas Ambulâncias desde 2002. Sempre que se reclama, ela diz que não há verbas para efeito. Ela transporta os medicamentos da Maternidade, bem como os aparelhos de Ecografia e leva para a sua Clínica (SISA) sempre que for necessário.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: