Luanda - As companhias aéreas portuguesa TAP e angolana TAAG vão realizar 10 voos em julho para ligar a capital de Angola, Luanda, que continua sob cerca sanitária devido à covid-19, a Portugal.

Fonte: Lusa

De acordo com informações do consulado de Portugal em Luanda, deverão ser operados voos da TAP na rota Luanda-Lisboa, hoje à noite, às 21:45, na sexta-feira, e na próxima quarta-feira, 15 de julho, no mesmo horário.

 

Os voos de regresso a Portugal são da responsabilidade das companhias aéreas, devendo os interessados contactar diretamente a TAP e as agências de viagens.

 

Também a transportadora angolana TAAG tem prevista a realização de sete voos em julho, nos dias 09 ,14, 16, 21, 23,28 e 30, com partidas às 11:30 da capital angolana e chegada às 19:00 a Lisboa, informou o Jornal de Angola.

 

Esta quarta-feira, a TAAG operou dois voos humanitários para Joanesburgo, África do Sul, para repatriamento de cidadãos angolanos, com saída às 08:00 e 08:50 de Luanda e regresso no mesmo dia ao final da tarde.

 

Angola fechou todas as suas fronteiras em 20 de março, para tentar conter a pandemia de covid-19 que já infetou 386 pessoas no país, permitindo apenas a realização de voos especiais de passageiros (humanitários e de repatriamento) e de carga, dependentes da autorização das autoridades angolanas.

 

O número de casos aumentou drasticamente nas últimas semanas, levando o Governo a estender a cerca sanitária de Luanda até 09 de agosto e impondo uma nova cerca ao município do Cazengo, no Cuanza Norte, a única província fora de Luanda onde se registaram infeções.

 

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 544 mil mortos e infetou mais de 11,85 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

 

Em Portugal, morreram 1.631 pessoas das 44.859 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

 

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: