Lisboa – O Serviço de Investigação Criminal interrogou na manha do dia 13 de Julho, uma cidadã nacional, Maria Eugenia Mendonça Neves, de 61 anos de idade, ligada a sectores empresariais do MPLA, e antiga assistente pessoal do empresário francês, Miclet  Vincent.

Fonte: Club-k.net

Patrimônio de  sócio francês  foragido  gera divergência

Numa reportagem do Club-K, datada de Outubro de 2018 com o titulo “Sócio francês burla USD 400 milhões a Kopelipa”, a cidadã Maria Eugenia Mendonça Neves era apresentada como a luso-angolana a quem o empresário francês Miclet Vincent, que se encontrava em parte incerta fora de Angola, havia passado uma procuração a mesma para a mesma controlar o seu patrimônio em Angola.

 

A sua convocatória no departamento de combate ao crime organizado do SIC, foi no seguimento de uma denúncia segundo a qual Maria Neves estaria a vender parte de algum patrimônio de Miclet Vincent, em Angola  tais como geradores,  carros, 15   camiões sem prévia autorização do empresário francês que desde 2016 mudou-se para Marrocos por recear que os seus antigos amigos do regime o fizessem alguma maldade.  De realçar que os  referidos camiões encontram-se retidos pela empresa “Edgar Transportes” por causa de uma divida de cerca de USD 300 mil deixada por Miclet  Vincent.

 

 

Segundo informações, o empresário francês terá imitido varias procurações a personalidades angolanas da sua confiança que tem estado a causar disputas entre si, razão pela qual as autoridades decidiram abrir o processo No6989/2020-DCCO para ouvir as partes envolvidas.

 

Nascido no Chade, Vincent Miclet, viveu em Angola desde 1999, e passou a gerir negócios de antigos generais da Presidência da República tais como os agora reformados Manuel Vieira Dias “Kopelipa” e Leopoldino Fragoso do Nascimento. Quando ocorreu o desmantelamento da empresa de alimentos Arosfran, que passou para o então advogado Rui Ferreira, os generais do regime constituíram a Nova Distribuidora alimentar em Angola (NDAD) que por sua vez colocaram inicialmente em nome de Vincent Miclet como seu “testa de ferro” e de Maria Eugenia Mendonça Neves que trabalhava como assistente pessoal do empresário francês. A mesma vive numa das residências de Vincent Miclet, no bairro Corimba, em Luanda. O cozinheiro desta residência identificado por “Prospere”, natural do Benin, foi também notificado para prestar esclarecimento no SIC, nesta quinta-feira (16).

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: