Lisboa - O Sindicato dos Oficiais de Justiça de Angola (SNSOJA) anunciou no passado dia 16 do corrente mês,   a paralização do aparelho de justiça por notar incumprimento de exigências feitas, segundo um oficio (No 85/SNSOJA/2020) endereçado ao Juiz Conselheiro e Presidente do Conselho Superior da Magistratura judicial (CSMJ), Joel Leonardo.

Fonte: Club-k.net

No oficio assinado pelo Secretário Geral, Lázaro Pessoa Binjola, o SNSOJA recorda que enquanto parceiro do CSMJ que vela pelos direitos e deveres da classe através do dialogo, solicitou, sem sucesso, no passado dia 13 de Maio do corrente ano, algum “esclarecimento sobre o andamento do processo de promoções (2ª fase), infelizmente sem qualquer resposta passados dois meses”.

 

O SNSOJA considera que mesmo assim, “os serviços continuam abertos a darem resposta satisfatórias aos cidadãos , porem, nunca existiu qualquer preocupação em saber anímico destes heróis que estão expostos aos risco constante da contaminação”.

 

“Nestes termos, somos a informar que se até ao mês de Agosto não efetivar a inserção dos promovidos na segunda fase, então de 24 a 28 de Agosto de 2020, será declarada uma greve geral em todo território nacional a partir das 8h00, por incumprimento do acordo assinado”, lê-se na missiva de advertência do Sindicado dos Oficiais de Justiça de Angola, na qual o Club-K teve acesso.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: