Luanda - O Serviço de Investigação Criminal (SIC), em Luanda, detido, na última sexta-feira, 31, um cidadão de 22 anos que passou a passar por agente dos Serviços Secretos da Presidência da República e que usava um passe de serviço para intimidar pessoas e ter acesso a instituições públicas, soube o Novo Jornal de fonte policial.

Fonte: NJ

O cidadão identificado apenas por Quitarica foi detido em flagrante delito com cinco passes de serviço de órgãos de defesa e segurança, sendo um da SIC, dois da Polícia Nacional e dois dos Serviços Secretos da Presidência da República.

 

Ao Novo Jornal, diretor do gabinete de comunicação institucional e imprensa da SIC-Luanda, superintendente prisional Manuel Halaiwa, disse que não tem sido frequente pessoas fazerem-se passar por agentes dos Serviços Secretos.

 

"Pessoas que falsificam documentos dos Serviços de Inteligência são muito raras. Mas que falsificam documentos de várias naturezas é uma realidade, e temos muitos outros casos", afirmou.

 

Segundo diretor do gabinete de comunicação da SIC- Luanda, após a detenção do jovem Quitarica, o falso agente secreto revelado que nunca foi militar e que passou por feitos no município de Cazenga, no famoso "Pau grande".

 

"Ele argumenta que o usuário passa para intimidar as pessoas, bem como para facilitar a circulação na via pública e em outros locais de interesse, como esquadrias de polícia e outras instituições públicas", reais.

 

De acordo com Manuel Halaiwa, o falso agente secreto foi detido na noite de sexta-feira, 31 de julho, no bairro de Calemba-2, no município de Kilamba Kiaxi, sem, no entanto, explicar os moldes da detenção.

 

Com ele, o diretor de comunicação da SIC-Luanda, foi encontrado um rádio de comunicação e uma pistola de brinquedo, cor preta.

 

Manuel Halaiwa disse também que o autor já presumido encontra-se detido e esta segunda-feira será presente ao Ministério Público para medidas que se impõem.

 

Registre que, neste ano, uma Polícia Nacional da Huíla e nenhum país detido por cidadão em cada uma das províncias a fazer-se passar pelo agente da polícia.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: