Lisboa – De acordo com apurações, alguns quadros do Comitê Provincial do MPLA, em Luanda  tem notado reservas por parte da direçcão do partido quanto a s tentativas de  reabilitação política do antigo Secretário da JMPLA na capital do país, Nhanga Calunga Hélder Fonseca de Assunção. Alega-se que sempre que o seu nome é proposto para uma função, é  de seguida rejeitado pela direção central do partido.

Fonte: Club-k.net

De acordo com  antecedentes, logo após a entrada do governo do Presidente João Manuel Gonçalves Lourenço, o nome de Nhanga de Assunção fora incialmente rejeitado para uma acomodação, no aparelho do Estado, necessariamente  para encabeçar a  Comissão Administrativa da Cidade de Luanda.

 

Em Janeiro de 2018, Nhanga foi apontado como putativo candidato ao cargo de administrador municipal de Viana, em substituição de Jeremias Dumbo “Tchilelevika”, o que não veio acontecer. No consulado do então Governador provincial de Luanda,   Adriano Mendes de Carvalho, o nome de Nhanga foi também sugerido para se tornar no Segundo Secretario do Comité provincial do MPLA, mas acabaria por ser preterido.


No  dia 13 do corrente  mês, Joana Lina anunciou  aos seus pares que Nhanga Calunga de Assunção seria a sua aposta para o cargo de segundo secretario do MPLA, em substituição de Manuel de Jesus Teodoro Quarta. Na semana seguinte, o Bureau Político chumbou a proposta validando o nome de um outro candidato Nelson Funete, sugerido pela Vice-Presidente do partido.


Formado em construção civil em Portugal, Nhanga de Assunção, de 44 anos de idade, foi o primeiro secretario da JMPLA em  Luanda  tendo sido substituído pelo   jovem Tomás Bica. Logo após às eleições de 2012, serviu o Governo de Angola  como secretario de Estado da Juventude e posteriormente com a mesma tarefa no ministério da construção, onde no passado desempenhou às funções de chefe do departamento das vias de comunicação e infra-estruturas básicas.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: