Luanda – Faleceu nesta  terça-feira, 1, em Lisboa, a subcomissária Josefa Luís do Rosário que até a presente data exercia o cargo de conselheira do Comandante Geral da Polícia Nacional de Angola.

Fonte: Club-k.net

Subcomissária Josefa Luís do Rosário

O Comando Geral da Polícia Nacional, em nota tornada público, lamentou “tal perda irreparável” endereçando á família enlutada, “os seus mais profundos sentimentos de pesar”.

 

Nascida em Malanje, a malograda Subcomissária, fez parte do grupo de oficiais que teve formação em Israel, ao tempo do comandante geral, Fernando da Piedade Dias dos Santos “Nandó”.

 

Em meados de 2019, uma publicação da corporação, descreveu esta oficial como “Mulher determinada, temente a Deus e amiga de todos” baseando-se numa entrevista sobre a sua trajetória. A ofícial ingressou nas fileiras da corporação, em 1976 , ainda como técnica civil, exercendo o cargo de escriturária dactilógrafa de 3ª classe.

 

Na entrevista, Josefa, como é carinhosamente chamada, afirmou ser uma das primeiras mulheres a ingressar na PNA, reiterando que, durante essa  trajectória, não foi fácil, pois ao longo do caminho encontrou muitos desafios. Mas a força de vencer, fez com que nunca desistisse.

 

Depois de 25 anos de polícia, isso no ano de 2005, transitou para o quadro I, pois segundo a mesma não haveria de fazer carreira e história se continuasse como técnica civil.

 

Aproveitando um despacho do então Ministro do Interior, Fernando da Piedade Dias dos Santos, foi  seleccionada para um curso de seis meses na República de Israel, onde foi   promovida e graduada ao mesmo tempo. 

 

Entre os vários cargos  exercidos no seio da PNA, destaca-se o de Directora Nacional Adjunta do Protocolo, cargo que exerceu "com muito zelo, dedicação e profissionalismo,  durante cinco anos (2005/2009)".

 

O Jornalista Mariano de Almeida,  recorda-se da malograda como  uma das figuras a quem  o “27 de Maio de 1977”   deixou marcas profundas.

 

“As marcas do 27 de Maio ainda me moem; muitas coisas nos marcaram;  recuso-me  a aceitar esta pancada”, refere o profissional. 

 

De acordo com dados históricos, nos acontecimentos  do “27 de Maio”, a malograda subcomissária Josefa Luís do Rosário perdeu o seu então esposo, em circunstancias nunca esclarecidas pelas autoridades, desempenhando ela, o duplo papel de mãe e pai, da filha recém nascida, Esmeralda Fernandes Cunha, que na fase adulta se  notabilizou como  jornalista da TPA.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: