Lisboa – O Tribunal de Contas de Angola (TC) está a obrigar antigos Presidentes dos Conselhos de Administração do BPC e seus respectivos colaboradores a devolveram viaturas compradas com fundos públicos para serem reutilizadas no interesse desta instituição bancaria estatal. Tratam-se dos conselhos liderados por Ricardo Daniel Sandão Queirós Viegas de Abreu (2017) e  por Alcides Horácio Frederico Safeca (2018 - 2019).

Fonte: Club-k.net

Gestores gastaram AKZ  500 milhões em viaturas de luxo 

Um recente relatório do Tribunal de Contas na qual o Club-K teve acesso estima que estes gestores (que se totalizam em 12) gastaram cerca de 510 milhões de kwanzas, para aquisição de viaturas de marca Lexus LX 570 Sport, Ford Ranger Wildtrack e Toyota Land Cruiser num espaço de dois anos. Porém, o relatório lamenta  que no momento do abate estas mesmas viaturas passaram a ser valorizadas a 132 milhões de kwanzas, isto é, 4 vezes menos que o valor inicial. Com isso, o Tribunal  de Contas estima que num espaço de dois anos, estes antigos gestores causaram  ao BPC, o prejuízo de 378 milhões de kwanzas.


O Tribunal de Contas recomenda que estas “viaturas propostas para abate em posse dos membros do Conselho de Administração cessante, sem a conclusão do processo” devem ser utilizadas no interesse e em beneficio da instituição.


Por conseguinte, este órgão supremo de fiscalização da legalidade das finanças públicas admite que periodicamente “o banco registra na sua contabilidade custos com amortização de bens , a uma taxa de 33, 33% que não geram para si qualquer beneficio, pelo que o custos de amortização suportados no período de Julho – Dezembro de 2019, no valor de kz 55 304 957, 82 deverão ser reintegrados aos cofres da Instituição pelos responsáveis” .

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: