Huambo - Após a chuva de críticas e clamores dos empresários do Huambo, devido os factos de corrupção e nepotismo, que deliberadamente assombram os concursos públicos para implementação das acções do Programa Integrado de Intervenção dos Municípios (PIIM) na província do Huambo, fontes do Governo provincial asseguram que a representante do PR João Lourenço, na Terra Planaltica promete "pôr ordem no círco".

Fonte: Club-k.net

As acusações de indícios de corrupção, nepotismo e de impunidade são extensivas aos membros do governo local, onde a Governadora provincial também tem sido alvo.

 

Num gesto de demarcar-se de tais acusações, Lotti Nolika, chamou de emergência o responsável do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística (GEPE) do governo provincial, o Delegado das Finanças, e como não podia deixar de ser, o "Homem de quem se fala", Araújo Timóteo Calei, Adminitrador Municipal do Londuimbali.

 

De acordo com a nossa fonte "ontem, quando a Governadora se apercebeu que estava a circular nas redes sociais denúncias sobre corrupção e nepotismo nos concursos públicos do PIIM no Londuimbali, a Chefe chamou de emergência o Director do GEPE, o delegado das finanças e o Administrador do Londuimbali para repor a legalidade".

 

Vale lembrar que, os empresários acusaram o Administrador do Londuimbali de rescindir o contrato com todas as empresas que ganharam o concurso do PIIM no Município, e paradoxalmente, foram substituídas por outras da sua "conveniência".

 

Por outro lado, conseguimos apurar que nas próximas 48 horas, a Governadora do Huambo poderá devolver um novo ambiente de negócios a nível da Província.

 

Até lá, vamos fazer como São Tomé: "Ver para crer".



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: