Luanda - Vossa Excelência, antes de mais, quero expor junto de Vossa Excelência o seguinte: sou João Henrique Hungulo, poeta, músico, escritor, activista social e pesquisador. O indivíduo que tem vindo a defender a pessoa de Vossa Excelência de forma bastante efusiva nas redes sociais.

Fonte: Club-k.net

Vossa Excelência Senhor ex – Presidente da República, Excelentíssimo Senhor Eng. José Eduardo dos Santos, estou a correr um eminente risco de vida na Centralidade do Kilamba, onde resido, por estar a ser perseguido pelos familiares de Vossa Excelência, por ciúmes à tudo quanto tenho vindo a desenvolver em nome do enaltecer da figura de Vossa Excelência. No entanto, venho chamar- lhe ao socorro, sê digne acudir – me de forma emergênte à essa situação que coloca em causa a minha existência.

 

O maior defensor de JES que chegou de gravar 7 músicas para enaltecer os feitos de JES e fez o dia 28 de Agosto num dos dias mais festejados no País, tendo declamado poemas e escrito mais de 100 opiniões de enaltecimento aos feitos de JES, assim como realizado duas obras de memória sobre a vida e obra de JES, está a ser perseguido pelos familiares de JES. João Hungulo foi o que mais defendeu JES actualmente, tendo sido conhecido como maior fã de JES, pela ironia do destino são os próprios familiares de JES que o querem ver morto.

 

João Hungulo diz estar completamente arrependido por defender JES e o clã dos Santos, e pela ironia do destino, está a ser vítima de perseguição pelo clã dos Santos. João Hungulo diz estar a ser perseguido de forma completamente injusta pela família dos Santos, a vítima nunca trabalhou em nenhuma empresa da família Dos Santos para estar a mandar um bando de delinquentes armados para o matar na Centralidade do Kilamba. João Hungulo diz não ter domínio de nenhuma informação secreta sobre a corrupção desenvolvida pela família dos Santos ao ponto de merecer perseguição e atentado de morte na centralidade do Kilamba. É triste que apesar de João Hungulo ser a pessoa que mais defendeu o clã dos Santos e JES, aos nossos dias seja vítima de perseguição pela família dos Santos. O acto terá sido caracterizado por um plano secreto onde a família dos Santos terá pago delinquentes para matarem João Hungulo por julgar que este tem em sua posse alguma informação sobre a corrupção realizada pela família, e quiçá este viria denunciar publicamente.

 

Num outro cenário, exorta – se o ciúmes excessivo de uma obra que terá sido escrita pela vítima, sobre a vida e obra de JES. Tudo indica que os bandidos que tentaram sequestrar e matar João Hungulo na centralidade do Kilamba foram mandados pela família dos Santos.

Segundo João Hungulo, os bandidos que tentaram sequestrá- lo na centralidade do Kilamba foram enviados pelo clã dos Santos, tudo por achar que João Hungulo teria em posse alguma informação sobre a corrupção desenvolvida por eles. João Hungulo terá escrito uma obra sobre a trajectória de JES (em 2017) que terá resultado na eclosão de um ciúmes grotesco por parte do clã dos Santos, ao ponto do clã dos Santos pensar que tivesse alguma informação sobre a corrupção desenvolvida por eles. João Hungulo diz que ele não pode ser morto como Sindika Dokolo, porque Sindika fez parte do círculo familiar e comeu do bem e do melhor da família, nem sequer como o ex – administrador do euro – BIC, Nuno Ribeiro da Cunha porque este participou de todas as actividades administrativas vinculadas à vida económica de Isabel dos Santos, nem como morreu a ex – PCA da UNITEL, Nuno Ribeiro da Cunha, porque estes fizeram parte de todo âmbito que fez menção a corrupção e desvio de fundos do Estado Angolano. João Hungulo diz que foi um simples escritor que escreveu uma obra sobre a vida e obra de JES, e, não tem como ser vítima de perseguição e tentativa de morte por parte do clã dos Santos.

Tudo começou em 2017 quando João Hungulo após ter escrito vários artigos enaltecendo os feitos de José Eduardo dos Santos ter – se – á dirigido à FESA onde terá contactado o DG daquela instituição Sr.º João de Deus procurando – o apresentar a ideia de um feito em obra, em nome do ex – Presidente da República Excelentíssimo Sr. Eng.º José Eduardo dos Santos, tal facto, terá sido bem recebido, pelo que o autor da obra solicitou em carta a informação em torno da pessoa do ex – Presidente (uma vez que nada sabia a respeito dessa nobre figura), coisa que, não terá sido sucedida, tendo no entanto, obtido uma autêntica repulsa, desde logo, o Director Geral, Sr. João de Deus tê – lo – á dito que fosse pesquisar tudo sobre a vida e obra de José Eduardo dos Santos, e tivesse que seguir as pisadas de Patrick Batsikama que já terá escrito duas obras em nome da figura citada em epígrafe. Sete dias depois, João Hungulo acorreu novamente à mesma pessoa solicitando – a se possível escrever a obra, mas que pudesse descrever um pouco sobre a infância de José Eduardo dos Santos, falando um pouco sobre a sua família, em particular, o Director Geral tê – lo – á retorquido em viva voz que havia de perguntar aos familiares do Excelentíssimo Senhor ex – Presidente, e, logo depois, respondê – lo – ia. Sete dias depois, João Hungulo voltou a bater às portas da FESA solicitando ao Sr. João de Deus se de facto já tinha a resposta sobre a escrita da obra e sobre o pormenor que o escritor havia apresentado que visava falar em particular sobre a infância de José Eduardo dos Santos e tocar um pouco sobre o seu perfil familiar, o Director Geral disse que a família de José Eduardo dos Santos autorizou que escrevesse livremente. Desde então, Hungulo terá escrito uma obra de perto de 600 páginas que terá feito chegar à FESA, porém, essa obra ter – se – á transformado num verdadeiro veneno que pôs o clã dos Santos à persegui – lo feito o gato atrás de um rato ao ponto de mandarem bandidos sequestrá – lo e matá – lo na centralidade do Kilamba no dia 25 de Novembro do ano em curso.

Há provas de sobras segundo as quais seria Isabel dos Santos a responsável pela tentativa de sequestro e morte de João Hungulo na centralidade do Kilamba, querendo acabá – lo tal quanto acabou Sindika Dokolo, tal quanto acabou o ex – administrador do euro – bic, tal quanto acabou a ex – PCA da UNITEL; tudo indica que esses foram mortos por uma tentativa de queima de arquivos, mas na verdade, Hungulo não fez parte do círculo de corrupção praticado pelo clã dos Santos para merecer perseguição e tentativa de morte por ter escrito um livro de memórias sobre a vida e obra de JES. Hungulo sente – se completamente arrependido por ter defendido de forma acérrima o clã dos Santos nas redes sociais, e hoje, é o mesmo clã que quer o matar tar quando Sindika Dokolo e o ex – administrador do euro – BIC terão sido mortos, Hungulo diz que ele era simplesmente admirador de JES e nada mais, devem perseguir os que trabalharam com eles, não João Hungulo que fez unicamente uma obra sobre a vida e obra de JES, João Hungulo não fez nada de mal ao clã dos Santos para merecer a perseguição e tentativa de morte que está a correr.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: