Luanda – As autoridades angolanas, anunciaram o fim da Junta Médica em Portugal. Muitas vozes nas redes sociais, se levantaram, uns contra essa medida e outros a favor. Sabemos que muitos doentes beneficiaram de Junta Médica em Portugal, porque no nosso país não existiam condições para o seu tratamento.

Fonte: Club-k.net
Admolise.jpg - 86,74 kBEntre esses doentes podemos destacar os portadores de Doença Renal Crônica(IRC). Os portadores de IRC, precisam de fazer hemodiálise três vezes por semana, por toda vida, para poderem ter qualidade de vida.

Mesmo que sejam transplantados precisam de um acompanhamento médico por intervalos regulares, para detetar com antecedência uma possível rejeição do rim transplantado e tentar evitar que isso aconteça .

Ora esses doentes enviados para Portugal não tinham um horizonte de cura, o que os obrigava fica por tempo indeterminado em Portugal, com todas as consequências matérias e psicológicas que essa situação acarreta, por se ficar longe da família, estando em terra estrangeira, com condições diferentes do seu habitat, enfrentando um tratamento que muda por completo a vida do seu portador.

O anúncio de que esse tratamento agora já pode ser feito aqui em Angola, por causa das várias Clínicas de Hemodiálise abertas, não só em Luanda, como em algumas províncias e noutras brevemente serão abertas, segundo informações da ministra da Saúde, Dra. Silvia Lutucuta, durante a inauguração da grande Clínica de Hemodiálise Sol; fez com as autoridades angolanas decidissem pelo retorno à pátria dos nossos concidadãos.

CLÍNICAS DE HEMODIÁLISE EM ANGOLA

As Clínicas de Hemodiálise do país, têm parâmetros internacionais, não só na estrutura física, como em todos os factores que fazem a sua engrenagem funcionar.

PROFISSIONAIS

O cálculo do rácio enfermeiro/ doente foram feitos dentro dos padrões científicos, três pacientes para cada técnico Médio de Enfermagem, um Enfermeiro Licenciado para cada cinco pacientes exercendo as suas atribuições de Gestor dos Cuidados de Enfermagem, e supetbisor dos Cuidados de Enfermagem, um Enfermeiro licenciado como supervisor de cada grupo de dez profissionais de Enfermagem.

Dessa forma prestam- se Cuidados de Enfermagem de Qualidade. As Clinicas de Hemodiálise têm médicos com especialidade em nefrologia que dão suporte aos médicos que se estão a especializar em nefrologia. As Clinicas de Hemodiálise têm também psicólogos e nutricionistas, bem como outros profissionais importantes para o seu funcionamento.

MATERIAL

As máquinas dialisadoras são de última geração. Existe material adequado para a realização das sessões de hemodiálise, bem como medicamentos para repor as substâncias que os rins pela sua degradação deixaram de produzir, e que são de suma importância para a sobrevida do portador de Insuficiência Renal Crônica. Proporcionado assim um tratamento de boa qualidade. Sem contar claro, com o facto do paciente estar perto dos seus familiares e amigos.

A Clínica de Hemodiálise Sol tem três autocarros que dão suporte aos doentes, fazendo diferentes rotas pela cidade de Luanda, com base num mapa elaborado pela instituição, tendo em conta a residência de cada utente eu ponto de referência para busca-los antes da Hemodiálise e deixa-los depois.

Fim da Junta Médica em Portugal

Vozes entendidas no assunto, dizem que pelas características do tratamento dos portadores da Doença Renal Crônica (tratamento para a vida toda) muitos doentes que estão em Portugal com Junta Médica, compraram casas, tem nacionalidade portuguesa e outros residência.

A maioria vive em casas próprias, alguns forjam contratos e recebem renda e subsídio, há gente que aproveitou emigrar. Alguns doentes quando a equipa angolana foi fazer o estudo de avaliação em Portugal, estavam em França e noutros países para onde emigraram, só iam a Portugal buscar os subsídios.

Importa dizer que um doente com Insuficiência Renal Crônica, leva uma vida normal desde que cumpra rigorosamente com as orientações dos profissionais de Saúde e não falte à nenhuma Sessão de Hemodiálise. O importante também é que ele, adapte a sua rotina a nova condição de viver. Para isso ele tem de contar com o apoio da família e dos amigos.

Fazer Hemodiálise não é uma sentença de morte, é sim, uma nova oportunidade de viver de uma forma diferente.

Bom domingo a todos.

*Licenciada e Pós Graduada em Ciências de Enfermagem, Consultora Técnica em Gestão dos Serviços de Enfermagem Luanda



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: