Joanesburgo - Foram dadas como  certas  as  inquietações   da Confederação Africana de Futebol (CAF), numa reunião no Cairo em Setembro  do ano passado dando conta da sua aflição face aos preços astronômicos praticados pelas unidades hoteleiras em Angola. (Razão da não afluência de turistas durante ao CAN Angola 2010).


Fonte: Club-k.net


A experiência foi vivida pela própria  caravana do  presidente da CAF, Issa Hayatou que esteve  hospedada no  Hotel de Convenções de Talatona  (HCTA), uma nova unidade hoteleira de luxo afecta a Sonangol. (dispõe de 201 quartos, 21 suites, divididas em 17 juniores suites, três suites de luxo e uma suite presidencial, com tratamento VIP diário).


O grupo de Issa Hayatou pagou a diária por pessoa, o valor de 600 USD. As refeições ficavam por 100 USD por pessoa ao que encorajou aquela comitiva a ir consumir/comer fora do hotel que lhes ficava mais em conta. (a própria comida  do hotel não era do agrado dos mesmos)


Nos últimos dias do CAN, havia chegado a Luanda, Josef Blatter,   o Presidente da FIFA tendo sido hospedado no mesmo hotel que esteve a presidência da CAF, em Talatona. Blatter  ocupou uma suíte cujo valor foi de  2.500 USD por dia.


A Confederação Africana de Futebol (CAF),  foi, de facto,  a Angola preparada para confrontar os preços dos hotéis e outros custos. No total levaram cerca de 3 milhões de USD em cash tendo os mesmos gastado quase metade do valor.


TENTATIVA DE ESTORQUIMENTO


 No dia em que deixaram Luanda, um funcionário do  aeroporto 4 de Fevereiro tentou embaraçar  o ajudante de campo da CAF que a transportava a mala diplomática do dinheiro daquela delegação desportiva africana. O funcionário  pretendia que lhe fosse exibido o documento de declaração do banco que autorizava a saída da elevada quantia (cerca de 1, 5 milhão de dólares).


A delegação da CAF passou com sucesso  a imigração  após a intervenção de um alto funcionário da FAF que explicou ao agente do aeroporto que os senhores interceptados eram os dirigentes máximos da CAF e que a quantia que transportavam era para a ajuda de custos dos mesmos e que tivera sido  autorizada pelo banco do  país de origem da caravana.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: