Luanda - “Regulamento do Serviço interno de piquete multidisciplinar” é o título do documento esboçado essencialmente para as embaixadas e consulados com o « cunho » do Ministro da Relações exteriores, Assunção dos Anjos.
 

O referido “pacote inovador e original à moda angolana” tem causado uma situação embaraçada aos peritos do MIREX com credencias acrescidos em assuntos diplomáticos a alto nível.
 

Fonte: Club-k

 Adoptar sistema de piquete para as missões diplomáticas e consulares

Funcionários seniores do Ministro das Relações exteriores em Luanda, alertaram ao Club-k que este - descabido - regulamento que  viola princípios morais, éticos e aspectos democráticos universais sem contar que contrária ao mesmo tempo a nova emenda política do PR (Jose Eduardo dos Santos)  que tem advogado uma tolerância zero contra gastos desnecessários partindo do principio que este tendencioso projecto envolverá receitas financeiras” - gastos - .
 

Segundo o artigo (1) da alínea (1) a natureza deste programa “funciona junto do protocolo de Estado”. Por outro lado, a alínea (2) do mesmo artigo define que o objecto deste pacote é de “assegurar o tratamento das questões colocadas fora das horas normais de expediente, assim como as situações, igualmente urgentes, que exigem uma intervenção pronto da estrutura central do Ministério”.
 

O artigo (2) enfatiza que o “presente regulamento do Serviço Interno de Piquete Multidisciplinar, aplica-se a todos os Órgãos do Ministério das Relações Exteriores”. “ O serviço Interno de Piquete Multidisciplinar, presta contas ao Ministro das Relações Exteriores”, lê-se no artigo (7) do mesmo documento.
 

Para uma avaliação profunda e exaustiva deste controverso regulamento que entrará em vigor integralmente por imposição do actual Ministério das Relações Exteriores é comparado a actual constituição eleitoral (Atípicas) esboçada pelo PR e submetida aos “testa de ferros” para a sua aprovação.
 

Carregue o documento sem filtro: Regulamento do Serviço interno de piquete Multidisciplinar



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: