Luanda - O Navio da República Portuguesa (NRP) 'Setúbal' está em Luanda, embarcação de patrulha e salvamento, para o reforço da cooperação naval entre Portugal e Angola, treinos conjuntos, formação e desenvolvimento de ações mútuas no domínio militar.

Fonte: Lusa

A embarcação desenhada e construída em Portugal em 2018, especializada para busca e salvamento marítimo, está desde segunda-feira atracada no porto de Luanda e recebeu hoje a visita do embaixador de Portugal em Angola, Pedro Pessoa e Costa.

 

O NRP "Setúbal" é uma embarcação essencialmente para operações de autoridade do Estado no mar e está equipado com o controlo e fiscalização da pesca, contando também com pessoal com formação e reforço a nível de equipas de abordagem.

 

Depois de chegar domingo a Angola, pela costa marítima do Ambriz, município da província angolana do Bengo, desde segunda-feira o NRP "Setúbal" reforça a cooperação bilateral no domínio naval com militares angolanos.

 

Pedro Pessoa e Costa e seus colaboradores diretos, ladeado do secretário executivo adjunto da Comissão do Golfo da Guiné em Angola e quadros da Marinha de Guerra angolana receberam explicações do comandante Artur Dias Marques sobre as valências do navio.

 

Segundo o capitão-de-fragata Dias Marques, a embarcação, com cerca de 60 tripulantes a bordo, transportou para Angola tudo o que as forças militares podem transportar, sobretudo o apoio à cooperação e trabalho conjunto.

 

"O apoio à cooperação, trabalho conjunto, que é que temos assumido há largos anos com Angola, vimos sempre desempenhar tarefas sempre no âmbito da colaboração, treino, formação e desenvolvimento mútuo quer dos militares angolanos quer também dos portugueses", afirmou o comandante aos jornalistas.

 

Montado com tecnologia de ponta, o navio conta também com equipas de mergulhadores, para qualquer atividade necessária, pessoal militar, treinado para as ameaças internas e externas e para apoio a outras embarcações marítimas.

 

A equipa do NRP "Setúbal" já desenvolveu ações com o grupo especial de fuzileiros da base do Ambriz, nomeadamente treinos conjuntos a nível de assaltos a navios, operações de embarcações miúdas, equipas de abordagem, revista de compartimentos, entre outras.

 

Em Luanda, onde estará durante esta semana, já decorrem trabalhos com os cadetes da Academia Naval, que na segunda-feira e hoje visitaram o navio.

 

"E vão estar assim como outras entidades e escolas de formação angolanas a fazer visitas constantes ao navio, já mostramos o que é o navio, quais as nossas valências e capacidades e também procuramos responder a todas as curiosidades que tenham", realçou o capitão Dias Marques.

 

Depois de Luanda, o navio português parte para Lobito, província angolana de Benguela, e durante o percurso, realçou o comandante, a tripulação estará em permanente comunicação com Luanda "para atualizar a base de dados marítima angolana".

 

O NRP "Setúbal" saiu de Lisboa em 01 de março, já com passagens na Guiné-Bissau, Cabo Verde, Costa do Marfim, São Tomé e Príncipe e agora Angola. No regresso tem passagens previstas para São Tomé e Príncipe, Nigéria, Gana, Cabo Verde até à sua chegada a Lisboa agendada para 30 de maio.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: