Lisboa – O Comité Provincial do MPLA, em Luanda, é apontado como estando a preparar uma manifestação, contra o Presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, destina a produzir a ideia que o líder do maior partido da oposição esta sem apoio no interior da sua formação política.

Fonte: Club-k.net

REGIME QUER QUE UNITA MUDE DE PRESIDENTE ANTES DAS ELEIÇÕES 

De acordo com informações, até agora não contestadas, o partido no poder terá recrutado um jovens no distrito do Kikolo para encabeçar os protestos com a garantias de exigirem a demissão de Costa Júnior no comando da UNITA. O MPLA terá também se disponibilizado em confeccionar camisolas com os símbolos da UNITA, para os jovens usarem na manifestação de forma a aparentar que os mesmos sejam militantes do “Galo Negro”.

 

Desde que ascendeu a liderança da UNITA, Adalberto Costa Júnior tem sido alvo de uma incessante campanha patrocinada pelo MPLA, com vista a chegar ao ano eleitoral de 2022, com a imagem aparentemente desgastada, em relação ao candidato dos “camaradas”, João Manuel Gonçalves Lourenço.

 

A figura central na condução dos trabalhos de desagaste a UNITA, é o general José Tavares Ferreira, figura da alta confiança do Presidente João Manuel Gonçalves Lourenço. Após ser reabilitado politicamente, o general Tavares recebeu a missão de gerir o dossiê UNITA. Foi lhe posto a disposição fundos para o efeito, administrados a partir da Associação dos Naturais, Descendentes e Amigos do distrito urbano (Akwa-Sambila), de que é Presidente.

 

O chamado “saco azul” gerido pelo o general José Tavares Ferreira, serve também para apoiar as atividades do MPLA em Luanda, tal como o recrutamento de “revus” que optem desistir da manifestações contra o governo.

 

Há poucos dias, o nome do secretario para informação do MPLA, Rui Falcão Pinto de Andrade, chegou a ser mencionado como contestatário, pela forma que o general José Tavares mobilizou os órgãos de comunicação estatal para cobrir – em direto - uma conferencia de imprensa de um grupo de desertores da UNITA, no município do Cacuaco. A conferencia teve como principal rosto, Domingos Pedro, um jovem que em 2016, abandonou o MPLA para se juntar a UNITA, e que agora abandona o “Galo Negro”, por alegada falta de dinheiro para taxi por parte dos seus companheiros, e por alegar que Adalberto Costa Júnior, é regionalista/tribalista, dando preferencia a quadros do sul do país.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: