Uma técnica simples que ajuda a clarificar ou a confirmar a compreensão da mensagem é a técnica da reformulação que consiste em resumir, por palavras próprias, de forma clara e breve, as ideias emitidas pelo interlocutor: (Se não me engano, você está a dizer-me que...).

Apôs o resumo, chega o momento de interrogar se o outro (mensageiro) está de acordo com a reformulação feita: (foi isto que me quis dizer? ). Escrevo este artigo porque tenho notado por parte de alguns comentários no Club-k, uma certa má interpretação das palavras, o que dificulta a compreensão de certas mensagens. Para clarificação de qualquer dúvida, o melhor será pedir ou mensageiro que esclareça o real sentido da sua mensagem. A reformulação é um sinal de estima e apreço pelos outros, na medida em que pomos cuidado na interpretação das suas palavras. Mas o objectivo essencial da reformulação é garantir que haja comunicação sem distorções.

Para sermos honestos é importante não interpretarmos, apressadamente as mensagens dos outros. Pois nem sempre é fácil captar o essencial da verdade que a outra pessoa transmite. E, havendo má interpretação, espreita o desentendimento. A linguagem das palavras (linguagem verbal) é pobre. Nunca exprime, com exactidão, as ideias e muito menos os sentimentos.

Na comunicação face a face, as posições corporais, o movimento das mãos, os gestos, o olhar, a voz (calma, apressada, deprimida, exaltada), as lágrimas, o riso, a respiração e os silêncios manifestam mais do que as simples palavras. Basta um tom irónico ou uma voz irritada para dar um significado diferente ao que se diz.

Por exemplo, a simples expressão (está bem) pode significar aprovação, critica, dúvida ou resignação, conforme o tom em que for pronunciada. As expressões do rosto transmitem mensagens espontâneas, naturais, que indicam o que a pessoa não consegue dizer ou se esforça por esconder. Revelam inferioridade ou superioridade, alegria ou tristeza, confiança ou insegurança, interesse ou impaciência, delicadeza ou agressividade. Ainda bem que temos este espaço livre, aberto e democrático para abordagem de vários temas, onde cada um pode e deve dizer o que sente, mas claro dentro de uma certa honestidade.

Como disse a honestidade diz: não interpretar as mensagens dos outros apressadamente, para que possamos em harmonia continuar os nossos debates neste espaço criativo e também educativo. Não estou a querer dar lições mas sim, apenas pedir uma maior compreensão entre nós. 

* Fernando Vumby
Fonte: Club-k

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: