Luanda - A Dívida de 115 mil e trezentos e quarenta e sete dólares americanos ao treinador adjunto daquela agremiação desportiva do Namibe, está na base da queixa apresentada pelo técnico e antigo jogador do clube, Abel da Ressurreição Napoleão dos Santos.


Fonte: Club-k.net


O tribunal do Namibe em despacho datado de 18 de Maio do ano em curso, sustenta o nº 1 do artigo 486º do código do processo civil o penhor do imóvel de primeiro andar que compreende de entre as diversas áreas, um restaurante, salão de festas, campo de salão e um centro de estagio, com capacidade para mais de cinquenta camas.



Na manhã desta quarta-feira 19.05 a sede social do atlético petróleo do Namibe encerrado e acorrentado ontem por oficial de diligências do tribunal do Namibe, foi visitado por pessoas de vários segmentos do mosaico Namibense.


Os adeptos do atlético petróleos do Namibe, zangados com a Direcção do clube e apontam o seu Presidente Gaspar, o principal culpado do cenário. A direcção do clube, depois de citada, nunca contestou e por isso mesmo, nos marcos da lei, tem no prazo de dez dias a partir de ontem 18 de Maio, a obrigação de liquidar a divida, sob pena da referida sede social ser leiloada em hasta pública conforme determinam as normas jurídicas em processos cíveis.


Os adeptos dizem estar constrangidos com o sucedido e exigem a intervenção do presidente do Conselho de Administração da Sonangol, o Engenheiro Manuel Vicente, e ao sócio do Clube, Rosário Ima Panzo a residir na cidade do Lubango e João Pedro Paxe no Namibe, homens que deixaram muitas saudades durante a sua vigência no clube dos Namibenses, no sentido de tudo fazer, para que o resgate da sede do clube, das mãos do tribunal, seja um facto. Segundo o Director executivo do clube Rui David, falando para a rádio pública local, tudo está a ser feito, para que dentro dos prazos estipulados pelo tribunal, sejam pagos ao queixoso os valores em causa. Romeu Filimon, o falecido Augusto Camaty, Fernando Freitas, Antonio Sayombo e Albano César, todos atravessaram o deserto para ver seus salários pagos.


Há quem diga o atlético petróleos do Namibe até a presente data, deve dinheiros ao falecido Augusto Camati então adjunto de Romeu Filimon. Os adeptos caracterizam isto a pouca vergonha da gestão do engenheiro Gaspar que nunca conseguiu acertar passos, desde que assumiu a liderança do atlético petróleo do Namibe.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: