Lisboa - Um alto funcionário do Banco Nacional de Angola  que esteve envolvido nas operações de transferências ilícitas para o exterior,  beneficiou de “amnésia”  interna resultando na devolução dos bens em sua posse. No seguimento do “perdão”  a referida figura foi afastada do cargo de direcção que ocupava   tendo de seguida sido nomeado(a) com um novo posto “de influencia” nesta instituição bancaria.

 

Fonte: Club-k.net

Devolveu o dinheiro e foi nomeado para um novo cargo

Em Fevereiro passado o(a) mesmo(a) dirigente e outros tidos como suspeitas foram obrigados a subscrever um documento  em que  declaram que em caso de se serem declarados culpados  os seus bens (dinheiros, carros, casas) passariam a ser propriedade do Estado angolano. Tratou-se de uma estratagema conotada a adaptação de  procedimentos usados em países comunistas como a ex -União Sovietica.

 

Na semana passada a  Procuradoria Geral da República de Angola (PGR) divulgou uma lista contendo nomes de envolvidos nos referidos roubos. Os mesmos  ocupavam funções como estafetas, motoristas, guardas e etc. A não divulgação de nomes de altos funcionários do BNA, é na visão de entendidos próximo ao assuntos, como medida destinada a salvaguardar o nome dos mesmos.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: