Africa do Sul -  A Holanda é a primeira selecção a apurar-se para as meias-finais do Campeonato do Mundo, deixando pelo caminho o Brasil. A “laranja” foi mecânica na segunda parte, para a qual entrou a perder. Felipe Melo, na própria baliza, e Sneijder anularam o tento “madrugador” de Robinho.


Fonte: ABola.pt

Recorde aqui as incidências da partida

Pela segunda vez consecutiva, o Brasil é eliminado nos quartos-de-final do Mundial. A Holanda, por seu lado, está mais próxima de repetir a presença na final que logrou nas edições de 1974 e 1978.


Esperava-se um jogo emotivo, e Holanda e Brasil não defraudaram as expectativas. Foi mais forte o “escrete” na primeira parte, ganhando vantagem com golo “madrugador” de Robinho, logo ao minuto 10. A “laranja” respondeu no lance imediato, com remate de Kuyt travado por Júlio César, numa das poucas iniciativas de ataque em toda a primeira parte.


O Brasil era a equipa mas acutilante sobre o terreno de jogo, e ficou muito perto de ampliar a vantagem por Kaká, que viu remate em arco - levava "selo" de golo - ser superiormente desviado por Stekelenburg.


Obrigada a correr atrás do prejuízo na etapa complementar, a “laranja” revelou-se... mecânica. Autogolo de Felipe Melo, no minuto 53, restabeleceu a igualdade no marcador, intranquilizou os jogadores brasileiros e acabaria por catapultar os holandeses para a reviravolta.


Kaká, outra vez ele, ainda ameaçou o segundo do Brasil – a bola passou a centímetros do poste esquerdo – e, na resposta, Sneijder cabeceou para a vitória e para o apuramento da Holanda. Pontapé de canto de Robben, Kuyt “penteou” a bola ao primeiro poste e permitiu o desvio fatal para o fundo das redes.


Como se não bastasse, atitude irreflectida de Felipe Melo – autor de abertura notável para o golo de Robinho –, motivou o cartão vermelho directo ao médio, por pisar Robben quando esteve estava estendido no relvado.


Reduzido a dez elementos, o Brasil lançou-se em busca desenfreada pelo golo, abriu espaços na retaguarda e pode agradecer à displicência do adversário a diferença mínima no marcador.


A Holanda soma o seu 23.º jogo sem perder e carimba o “passaporte” para as meias-finais, onde defrontará o vencedor do jogo entre Uruguai e Gana.


Sob arbitragem de Yuichi Nishimura (Japão), as equipas alinharam:

HOLANDA: Stekelenburg; Van der Wiel, Heitinga, Ooijer e Van Bronckhorst; Van Bommel e De Jong; Robben, Sneijder e Kuyt; Van Persie (Huntelaar, 85)


BRASIL: Júlio Cesar; Maicon, Lucio, Juan e Michel Bastos (Gilberto, 62); Daniel Alves, Felipe Melo, Gilberto Silva; Kaká; Luís Fabiano (Nilmar, 77) e Robinho


Disciplina: Cartão amarelo para Heitinga (14), Michel Bastos (37), Van der Wiel (47) e Ooijer (76). Cartão vermelho directo para Felipe Melo (73)


Ao intervalo: 0-1


Resultado final: 2-1


Marcadores: 0-1, Robinho (10); 1-1, Felipe Melo (53 p.b.); 2-1, Sneijder (68)
16:50 - 02-07-2010 begin_of_the_skype_highlighting              50 - 02-07-2010      end_of_the_skype_highlightingIMAGENS RELACIONADAS



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: