Benguela - Enquanto as autoridades locais e do poder central optam por um silêncio endiabrado, as coisas na Universidade Katyavala Bwila (UKB) vão de mal ao pior.


* João Roberto, Funcionário Sénior da UKB
Fonte: Club-k.net

O Reitor que agora todos dúvidam se chegou a ser Magnífico e os Decanos e Vice decanos por ele indicados, mantêm-se de costas viradas e a essa musculação juntam-se os docentes e trabalhadores não docentes que em Março último obrigaram a ida à Benguela do Secretário de Estado para o Ensino Superior Adão do Nascimento.


 
Ao que tudo indica, nem as autoridades locais estão interessadas por uma UKB saudável e ao serviço do desenvolvimento da região porque seu silêncio não pode ser explicado de outra forma. E, enquanto isso, as aulas única dimensão académica ainda em atendimento em detrimento da pesquisa e do serviços, vão de mal ao pior. Os estudantes descontentes vão às salas de aulas para onde os docentes desmotivados pela actual situação aparecem quando querem e, naturalmente, dão aulas também quando querem.

 

Ao mesmo tempo, o reitor desdobra-se em criar falsas realidades junto da comunicação social como se tudo estivesse sob seu controlo quando na verdade, e para sustentar isso, tenta fazer o trabalho das unidades orgãnicas que de modo algum não consegue.


A situação é de tal forma preocupante que, se nos próximos dias, nada for feito tudo poderá acontecer para a degraça da única Universidade Pública naquelas paragens. Os Decanos, Vicedecanos, Docentes, Trabalhadores não docentes e estudantes, estão decididos a dar o Adeus final ao Reitor Paulo de Carvalho que não chegou a ser Magnífico.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: