Lisboa - O  maior negócio da Odebrecht em Angola, de momento, é a falsificação de facturas de obras destinada a  aumentar as dívidas que o Estado angolano  tem para consigo, refere um competente relatório de situação.  O  dinheiro,  é depois dividido com elementos conotados ao regime/goverrno tidos como facilitadores  das operações.   A acção da Odebrecht é descrita como  “um roubo indescritível, de arrepiar os cabelos.”

 

Fonte: Club-k.net

 

A Odebrecht executa obras de construção em Angola que geralmente são pagas com fundos provenientes de uma  linha de credito existente do Brasil. (Os parceiros angolanos buscam 30%). A dimensão do saque é citada como “descontrolada”, razão pela qual  os próprios dirigentes angolanos são apresentados como figuras que estimulam as empresas a fazer as subfacturação.  


Um observador habilitado  chamando a analisar as motivações que levam esta empresa brasileira a  proceder desta forma, respondeu da seguinte forma:  “Agora com a crise, e como as suas obras não correm bem, e com todos os pagamentos que tem de fazer para chamar a si o maior quinhão de obras, tem de inventar dívidas para ganhar aquilo que não deve: na ordem das centenas de milhões de dólares.”



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: