Luanda - Cinco de setembro ultimo efectuava-se a tranferência total de vendedores,bem como a destruição dos escombros do mercado do Roque santeiro o maior mercado a céu aberto de Africa para o novo mercado do Panguila,espaço que segundo os utentes é pequenissimo para albergar o numero de vendedores como o faria o primeiro,note-se que segundo fontes o Roque santeiro movimentava cerca de 10milhões e quinze mil pessoas por dia,sem falarmos dos milhares e milhões de receitas em dinheiro. Dizia um renomado sociologo e escritor Angolano «se não tem no Roque é porque ainda não foi inventado».


*Abrão de Jesus
Fonte: radarsambizanga.wordpress.com

 

A retirada do Roque Santeiro foi uma operação executada por 50 tecnicos de limpeza da Administraçao do general José Tavares em parceria com a  ENCIB-Empresa Nacional de Construção de Infraestruturas basicas,e envolveu agentes da ordem publica,pás carregadoras,maquinas giratórias e outros meios.

 

Tido como o maior mercado a céu aberto de Africa,o mercado Roque santeiro situava-se no  municipio do sambizanga,municipio que tem como sede a comuna do mesmo nome e faz fronteira a norte com o municipio de Cacuaco ,a Sul com Municipio de Ingombota,a Este com municipio do Cazenga e do Rangel e a Oeste pelo Oceano atlantico. estas e outras caracteristicas fazem do Roque Santeiro um municipio estrategico no dominio socio-economico da provincia de Luanda e por conseguinte do País.

 

Como se pode imaginar á sua maneira o mercado empregava milhares de pessoas e em particular jovens com baixa formação academica e mesmo tecnico-profissional,não que seja um caso generalizado,entenda-se.

 

Estes« jovens» já começam a pesar pela negativa aos transeuntes do  Sambizanga e não só.Ora vejamos:nas ultimas semanas vem se propagando a olhos nú os assaltos na via publica,onde infelizmente o numero e qualidade tecnica de efectivos da policia Nacional ainda não satisfaz a anseia do cidadão em termos de segurança publica,e nem se esta a referir de localidades como o Nguanhã,os Ossos,o Mota,Campismo,Lixeira,o Baião ou um outro onde infelizmente segurança é um vocabulo util apenas em certas horas.As referencias aqui,são Bairros como Miramar e são Paulo.no primeiro pode constatar-se a luz do dia assaltos por esticão principalmente a passageiros dos vulgos azul e branco.os meliantes com violência arrancam de indefesos transeuntes,desde dinheiro,carteiras, telemoveis,adereços como pulseiras,argolas relogios e outros haveres.casos ha em que apos tal acção maldosa os praticantes se vão como que nada tivesse acontecido.aí de quem faz de heroi,«carne para petisco».os populares ficam como que a espera de um messias em toda essa historia.situação que faz a muitos queixosos de tais praticas sitar o quadro de um programa televiso: SE VIRA NOS TRINTA.

 

Os poucos agentes da ordem publica nestes locais,em particular ao Sao Paulo, na maior parte dos casos quando chamados a interver não podem faze-lo por andarem oucupados correndo com as vendedoras ambulantes,que segundo vem sendo defendido por algumas entidades vendem  um mau postal da capital Angolana- a provincia de Luanda.as brigadas de policia movel longe de cobrir o ratio policia-cidadão.por isso, de igual formas não faz coisa alguma se não pôr a viola no saco e ir tratando outros assuntos menos relevantes.

 

Ainda no São Paulo,numa conhecida loja de roupas aos nove de setembro corrente,em pleno meio dia,certo assaltante apanhado em flagrante delito defendeu-se dizendo que fora injustiçado«eu trabalhava mbora no Roque».dizia o acusado.

 

O cenário não é diferente no Cazenga onde pelos bairros a-dentro elevado numero de jovens e mesmo adolescentes doam-se ao alcoól,á delinquencia e praticas criminais sob pretexto de não terem o que fazer,haver falta de oportunidades para mostrarem quanto valem e podem e outros. infelizmente nestas localidades situações há em que marginais são vistos como celebridades,talvez pela forma dos mesmos ,sempre mestres em esbanjar bens e valores monetários,não vindo do suor dos seus rostos.

 

Uma pincelada pelo Municipio do Rangel onde no dia dezeseis de setembro,os municipes entraram em pânico quando um jovem de vinte e nove anos de idade pretendia voluntariamente pôr fim a sua vida,tentando lançar-se do velho predio da Tchetchenia abaixo.momentos depois em conversas com Maciel Neto «Makavulo»- Administrador municipal do Rangel,o mesmo alegava como razão para o suicidio dificuldades da vida.

 

Face a todo este cenario é um imperativo que se tomem providências a fim de evitarem-se situações piores;que o Estado mobilize forças,estratégias,homens para fazer frente a tal situaçao.uma vez que em causa está o futuro da nação,uma franja social que segundo o artigo 81ºda constituição vigente, goza de protecção especial para efectivação dos seus direitos economicos ,sociais e cultural nomeadamente:no ensino,na formação profissional e na cultura;no acesso ao primeiro emprego ,no trabalho e na segurança social,no acesso a habitação,na educação fisica e no desporto e no aproveitamento dos tempos livres. Sublinscuhe-se: A ignorancia da lei não é desculpável-defendem os mais  entendidos.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: