Luanda - Angola ocupa o centésimo quarto lugar na nona edição do ranking anual de liberdade de imprensa. A última posição entre os países que falam português mas, considerada aceitável pela Organização Não Governamental, Repórteres Sem Fronteiras.


Fonte: Apostolado

O recente assassinato do jornalista da “Rádio Despertar” ensombrou esta classificação, segundo a ONG.

 

Entre os 200 países analisados, a Namíbia posiciona-se como o melhor país africano para o exercício o jornalismo, em vigésimo segundo lugar. Cabo Verde é, por seu lado, o país lusófono que mais respeita a liberdade de imprensa, ocupando o vigésimo sexto lugar. Seguem-se Portugal (40), Brasil (58), Guiné Bissau (67), Timor Leste (94) e Moçambique (98).

 

Os dez primeiros países onde é bom ser jornalistas, segundo os Repórteres Sem Fronteiras, são a Finlândia, Islândia, Irlanda, Noruega, Holanda, Suécia, Suiça, Áustria, Nova Zelândia e Estónia.

 

A Eritreia ( 178º), Coreia do Norte ( 177º), Turcomesitão ( 176º), Irão (175º), Mianmar (174º), Síria (173º), Sudão (172º), China (171º), Iémen (170º) e o Rwanda ( 160º).

 

Entre as maiores quedas no ranking, destaca-se a das Filipinas, pelo massacre de cerca de 30 jornalistas.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: