Lisboa - O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, afirmou ontem que Pedro Mantorras entendeu que "chegou o tempo de parar de lutar contra o sofrimento", mas garantiu que o avançado angolano "nunca deixará o clube".


Fonte: Publico


Durante a inauguração das casas do Benfica da Charneca da Caparica e do Seixal, Vieira confirmou que os problemas físicos do angolano impossibilitam Mantorras de continuar a jogar futebol ao mais alto nível: "Este é o momento em que o Pedro [Mantorras] decidiu que chegou o tempo de parar de lutar contra o sofrimento, contra as dores e contra as limitações físicas que o impediram de ser o que ele merecia e podia ter sido: uma referência mundial do futebol." O presidente dos "encarnados" disse que Mantorras é "um exemplo de entrega, de sacrifício, de superação", "alguém que nunca deixou de lutar, que sempre superou as dificuldades por que passou".

 

Apesar de ter colocado um ponto final na carreira de jogador, o angolano vai continuar no clube. "É evidente que ele nunca deixará o Benfica, porque ele faz parte desta casa. Faz parte da nossa história e encarna os valores que fazem do Benfica o clube que todos conhecemos", acrescentou Vieira, que prometeu uma despedida de Mantorras com "a dignidade e o carinho" que o angolano "merece".


Com Saviola recuperado da gastroenterite que o condicionou nos últimos dias, o Benfica continuou ontem a preparação para o derby de amanhã contra o Sporting.


O defesa-central Sidnei considera que será necessário um Benfica "muito forte" para vencer em Alvalade. "É um clássico onde sabemos as dificuldades que vamos encontrar e temos que ir preparados para um grande jogo. Vai ser um jogo muito disputado e temos que estar muito fortes para conseguir o nosso objectivo", disse o jogador brasileiro, em conferência de imprensa.


Mantorras pede pensão por invalidez devido a lesão


Pedro Mantorras entregou um pedido de pensão por invalidez no Tribunal de Trabalho de Lisboa, devido ao acidente de trabalho que foi vítima enquanto atleta do Benfica.


A informação é avançada, este sábado, pelo semanário Expresso, que explica que o avançado angolano irá submeter-se a uma avaliação clínica para avaliar o grau de incapacidade física permanente devido à lesão contraída durante um treino, em Fevereiro de 2002.


Caso se confirmem as mazelas físicas irreparáveis, Mantorras poderá vir a receber uma compensação financeira.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: