Luanda - A selecção da Tunísia sagrou-se vencedora da segunda edição do Campeonato Africano das Nações (CHAN), ao derrotar na final a congénere angolana, por 3-0, resultado alcançado na segunda parte do desafio. Os tentos da partida foram apontados por Traoui, Douadi e Daragi.


Fonte: JA


Na primeira parte os angolanos entraram ameaçadores, mas cedo os tunisinos tomaram conta das operações no meio campo. As situações realmente de perigo não surgiam, pois a defesa angolana anulava todas as investidas ofensivas dos tunisinos.

 

Os Palancas adoptaram uma postura virada para os contra-ataques, mas Santana, o único homem da frente de ataque, era presa fácil dos defensores tunisinos, que estavam sempre em vantagem numérica.

 

Nos últimos minutos do primeiro tempo, os angolanos tentaram acelerar e foram criando algum perigo junto da área contrária, mas sem resultados práticos. Chegou o intervalo sem que houvesse situações de perigo para ambas as partes.

 

No reatamento, quando se pensava que Lito Vidigal ia apostar no jogo ofensivo, foram os tunisinos que entraram com outra postura e logo aos 47 minutos inauguraram o marcador, com Traoui a finalizar em grande estilo um cruzamento da ­esquerda, com os defesas angolanos a verem a bola cruzar toda a sua área.


Daí para a frente só a Tunísia é que jogou, com os angolanos sem encontrarem soluções para contrariar o caudal ofensivo dos tunisinos. E os golos foram surgindo com naturalidade, para gáudio dos adeptos sudaneses, sedentos de vingança pelo afastamento da final pelos angolanos. Lito Vidigal ainda tentou remar contra a maré, fazendo entrar Love, Job e Ze Kalanga, na tentativa de dar outra vida ao ataque. Mas a equipa já não tinha cabeça e cometia erros atrás de erros. Sami Trabelski, técnico tunisino, fez as três substituições quando já tinha­­ ­praticamente o resultado construído. Estava feito o resultado, justo. A Tunísia fez por merecer o troféu, um brinde à revolução triunfante no seu país, conforme haviam prometido os seus jogadores.


A Selecção Nacional regressa às primeiras horas de hoje ao país, em voo charter da Sonair. 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: