COMUNICADO DE IMPRENSA


O Movimento para a Paz e a Democracia em Angola, veio através deste comunicado exigir a libertação urgente e incondicional dos 15 a 20 angolanos detidos polícia-secreta logo a primeira hora do dia, quando estes tentavam concentrar-se no 1° de Maio para a realização de uma Manifestação Pacífica, entre os quais encontram-se o Brigadeiro Mata Fakus e toda a equipa do Novo jornal, nomeadamente Ana Margoso, Pedro Cardoso, Afonso Francisco e Idalio Kandé.

 

1. O MPDA faz apelo as massas angolanas que no interior e no exterior enfrentam com a bravura, coragem, determinação patriótica e heroísmo, de reiterar o seu apoio aos nossos irmãos e irmâs vítimas do regime ditatorial dirigido pelo José Eduardo dos Santos.

 

2. Pedimos sobretudo a diáspora angolana, na Europa, nos estados unidos, Brazil, África do  sul e na Ásia, de redobrar as suas reivindicações e acções junto a Comunidade Internacional para exigir a libertação urgente e incondicional dos nossos irmãos e irmâs.

 

3. Pedimos o fim imediato e incondicional das acções e manobras bélicas e as medidas repressivas levadas acabo pelo regime autoritário contra as populações indefesas.

 

4. Condenamos a política de intolerância e de violação dos direitos humano levada acabo pelo regime ditatorial.

 

5. Condenamos sem reservas a arrestações arbitrárias, as prisões extrajudiciárias e todo tipo de acção de intimidação e de humilhação contra as populações angolanas.

 

6. Exigimos que  Brigadeiro Mata Fakus e toda a equipa do Novo jornal, nomeadamente Ana Margoso, Pedro Cardoso, Afonso Francisco e Idalio Kandé sejam postos em liberdade antes da realização das Manifestações levadas acabo a diáspora angolana, em vários países do mundo.

 

7. No termo do prazo exigido, caso contrário, o MPDA vai tomar medidas repressivas que poderão pôr fim a diplomacia angolana no exterior.

 

8. O MPDA considera justa e necessária as manifestações dos angolanos seja no interior como no exterior, para a liberdade e salvagurda da soberania da nação, desde estes actuam dentro da lei estabelecida e aprovada em unanimidade pelo partido da situação.

 


9. O MPDA poderá posseder a convocação de uma Marcha geral nos proxímos dias, caso o governo corrupto não agir dentro do prazo e dentro da lei estabelecida naquela república das bananas.

 

Feito em Bruxelas, aos 07 de Março de 2011-03-07


MPDA/EU



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: