Maputo – O músico Azagaia, o nome mais importante do hip hop  moçambicano actualmente, foi preso ontem (30/7) à noite na cidade de Maputo em circunstâncias pouco claras. Há indícios de perseguição política.


Fonte: tasaver.org

Tal como acontece em Angola

A prisão aconteceu algumas horas antes do início do concerto que ele faria no bar Gil Vicente, onde lançaria um novo clipe chamado “A Minha Geração” contendo, como sempre, duras criticas ao governo. Azagaia é um forte crítico da política e da sociedade moçambicana. Sua posição já lhe valeu um processo movido pela Procuradoria Gera da República contra si, por alegada incitação à violência por meio de uma música e vídeo que ele lançou logo à seguir às primeiras manifestações populares ocorridas em Maputo, em fevereiro de 2008.

 

Até agora, as informações estão desencontradas. Segundo informações não oficiais fornecidas por policiais de plantão, ele está detido desde as 19 horas na 6a esquadra da cidade de Maputo por porte de maconha. Entretanto, o caso pertence à CIP, polícia responsável pelos casos políticos. Esse é um forte indício de que a prisão do músico pode ter conotação política.  Na CIP, os policiais de plantão afirmaram que, de facto, Azagaia havia sido detido, mas não quiseram comentar o caso.

 

A quantidade de maconha apreendida pela polícia não seria suficiente para levar o músico a prisão. Alem disso, Azagaia estaria acompanhado no momento da prisão e a pessoa que estava com ele assumiu ser dona da droga.

 

No Gil Vicente, um dos principais bares da cena cultural de Moçambique, o público ficou surpreso com a prisão. Uma outra banda apresentou-se no lugar, o novo clipe “A minha geração”, de Azagaia foi divulgado e houve muitas manifestações de apoio ao músico preso.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: